Bolsonaro incentiva apoiador a chamar jornalistas de “abutres”

Presidente incentivou apoiador que chamou profissionais de "abutres". O professor, em 2018, fez churrasco dentro de escola por Bolsonaro

atualizado 31/03/2020 12:50

Reprodução/YoutubeReprodução/Youtube

Jornalistas abandonaram uma coletiva de imprensa com o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), nesta terça-feira (31/3), após ele endossar o comportamento de um de seus apoiadores, na porta do Palácio da Alvorada, que chamou os profissionais de “abutres”.

“Vocês ficam todos jogando o presidente contra os ministros e os ministros contra o presidente, que coisa feia, ninguém aguenta isso mais. É o tempo todo jogando os ministros contra o presidente. Ontem eu fiz um vídeo no meu canal mostrando isso”, disse o professor de matemática Emerson Teixeira.

Em seu canal no YouTube, o docente se identifica como o “professor opressor”. O vídeo produzido por ele e mencionado nesta terça está intitulado como “Imprensa é inferno e jornalistas são demônios”.

Entre as atividades de apoio ao titular do Planalto, Emerson chegou a fazer um churrasco dentro de uma escola pública para comemorar a eleição do presidente, em 2018. “Hoje, a matemática não é importante. O importante na sala de aula é o churrascão. Dia histórico. Bolsonaro presidente”, disse o professor na ocasião.

A Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEE-DF) comunicou que reuniu as informações do caso a fim de encaminhá-las à corregedoria da pasta. Frisou ainda que será instaurado processo para apurar o ocorrido e definir as medidas cabíveis ao episódio.

Após as ofensas proferidas pelo seguidor, Bolsonaro pediu que ele continuasse falando e que os jornalistas se calassem. “Não, fala aí, fala aí. Pode falar. É ele que vai falar, não ‘é’ vocês não”, gritou o presidente.

“Vai embora, vai abandonar o povo? Ó, a imprensa que não gosta do povo”, ironizou Bolsonaro.

Últimas notícias