Bolsonaro chama Boulos de “paspalhão” após MTST invadir Bolsa

Segundo o presidente, esse é um "pequeno exemplo da esquerda", que tem culpa pelo desemprego por apoiar a " política do fica em casa"

atualizado 23/09/2021 20:23

Presidente jair bolsonaro durante cerimonia no planalto 4Hugo Barreto/Metrópoles

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), citou nesta quinta-feira (23/9) a invasão de integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), liderado por Guilherme Boulos (PSol), na sede da Bolsa de Valores, em São Paulo. Segundo ele, esse é um “pequeno exemplo da esquerda”.

“Guilherme Boulos e sua turminha invadindo a Bolsa de Valores. Já vi muita gente do mercado contra mim: tiveram um pequeno exemplo da esquerda. Eles adoram a propriedade privada”, disse o chefe do Executivo federal.

Bolsonaro ainda disse que a esquerda tem culpa no desemprego, por causa da “política do fica em casa”. “Prezado Boulos, o que a esquerda fez para que pessoas não perdessem a renda em 2020? Tudo ao contrário, quando apoiaram a política do fica em casa.”

O presidente ainda afirmou que nunca viu o psolista “ao lado da lei”. “Querer me culpar da fome do Brasil e desemprego? Tá de sacanagem, né? É um paspalhão, realmente. Nunca vi esse cara ao lado da lei, respeitando emprego.”

Assista à live:

Bolsonaro cumpre isolamento no Palácio da Alvorada, depois de ter tido contato com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que foi diagnosticado na terça-feira (21/9) com Covid-19, após participação na 76ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York.

Após Queiroga testar positivo para a doença, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) enviou, na quarta-feira (22/9), ofício à Casa Civil da Presidência da República recomendando isolamento aos integrantes da comitiva presidencial que estiveram em Nova York nos últimos dias.

A recomendação da agência é de isolamento de 14 dias para todos que tiveram contato com o ministro.

Assintomáticos

O secretário de Comunicação da Presidência, André Costa, informou que o presidente e a comitiva que o acompanhou na viagem estão assintomáticos e serão submetidos, no fim de semana, a testes RT-PCR para detectar se foram infectados pela Covid-19.

Depois da recomendação de isolamento, o presidente adotou uma agenda virtual. Nesta quinta pela manhã, ele participou, por videoconferência, da cerimônia de recondução do procurador-geral da República, Augusto Aras, por mais dois anos.

0

Mais lidas
Últimas notícias