Bolsonaro ataca Doria e Witzel: “Demagogia barata”

Presidente afirmou que medidas adotadas por governadores e prefeitos são "crime" e arrebentam o país

atualizado 25/03/2020 11:52

Jair BolsonaroRafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), afirmou nesta quarta-feira (25/03) que medidas adotadas pelos governadores de São Paulo, João Doria (PSDB), e do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), para conter o avanço da epidemia do coronavírus são “demagogia barata”.

A declaração foi dada instantes antes de o presidente entrar em uma videoconferência com os governadores da região Sudeste.

“O que estão fazendo no Brasil, alguns poucos governadores e alguns poucos prefeitos, é um crime. Eles estão arrebentando com o país, estão destruindo empregos aqueles caras que falam ‘a economia é menos importante do que a vida’. Cara pálida, não dissocie uma coisa de outra”, criticou.

Bolsonaro, que até então evitava citar nomes de governadores, mencionou Doria e Witzel ao dizer que eles “estão fazendo uma demagogia barata para esconder outros problemas”. O presidente também afirmou que eles “se colocam junto à mídia como salvadores da pátria, como o messias que vai salvar os estados e o Brasil do caos”.

Enquanto atacava as medidas de confinamento, o presidente fez um apelo dizendo que “o caos está aí” e pediu para que os brasileiros acordem para a realidade.

“Se nós não acordarmos para a realidade, dentro de poucos dias, deixo bem claro, poucos dias poderá ser tarde demais. Não adianta governador depois vir pedir GLO pra mim porque não teremos gente suficiente pra conter o caos que infelizmente já se aparece no horizonte.”

Últimas notícias