Coronavírus: Abin projeta 5,5 mil mortes e 207 mil contaminados

Documentos considerados sigilosos foram obtidos com exclusividade pelo site The Intercept Brasil. Bolsonaro fala em "histeria"

atualizado 25/03/2020 14:55

Documentos da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) revelam que o país pode registrar mais de 5,5 mil mortes por causa do novo coronavírus (Covid-19) dentro de duas semanas.

Os relatórios, considerados sigilosos pela Abin, foram obtidos com exclusividade pelo site The Intercept Brasil.

Além de 5,5 mil mortes, a agência estima mais de 207,4 mil casos confirmados da doença. Isso tudo, até o próximo dia 6 de abril, segundo os informes.

Na simulação, a Abin considera que o Brasil apresente a mesma curva de progressão de China, Itália e Irã. Outros dois cenários também são considerados, mas revelam uma análise com um número menor de mortos.

O informe da Abin é atualizado diariamente. Os números apresentados na reportagem foram compilados nessa segunda-feira (23/03). A função primordial é fornecer informações consideradas estratégicas para a Presidência da República.

Boletim divulgado nessa terça-feira (24/03) pelo Ministério da Saúde aponta que 46 brasileiro morreram por causa da Covid-19. Ao todo, 2,2 mil estão contaminados.

Histórico
Os números considerados pela Abin destoam do discurso do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que chamou a doença de “gripezinha” e afirmou, diversas vezes, que o país vive uma “histeria”.

Na noite dessa terça-feira (24/03), Bolsonaro discursou em rede nacional e convocou o país a “voltar à normalidade”.

Para o chefe do Executivo, os brasileiros devem “abandonar o confinamento em massa“, pois “o grupo de risco é das pessoas acima de 60 anos”.

A agência de inteligência é comanda pelo ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, que testou positivo para a doença.

Últimas notícias