Bolsonarista nas redes, médico vira coordenador de cultura

Alessandro Loiola foi nomeado por Roberto Alvim, que o conheceu pela internet: "Demonstração de confiança"

atualizado 13/12/2019 12:03

Reprodução

Indicado no início de novembro para chefiar a secretaria especial de Cultura do governo federal, Roberto Alvim escalou um médico que conheceu via redes sociais para uma das coordenações-gerais do órgão. Alessandro Lemos Passos Loiola foi nomeado no dia 27 de novembro para comandar a Coordenadoria-Geral de Empreendedorismo e Inovação.

Ao Metrópoles, Alessandro afirmou que conheceu Alvim “via interações através de mídias sociais” e, “após algumas conversas”, o secretário resolveu convidá-lo para um posto na secretaria. “Fiquei lisonjeado, a nomeação foi uma demonstração de confiança. Tivemos umas conversas, conheci ele e a esposa, ele fez o convite e eu aceitei”, declarou.

Embora admita nunca ter trabalhado “oficialmente” com cultura, Alessandro se diz animado com a missão de comandar o departamento e afirmou ter encontrado no órgão uma equipe “extremamente preparada, motivada e técnica”.

“Extraordinário, fiquei surpreso com a competência e a dedicação deles ao trabalho. Como toda a equipe, estou muito animado”, elogiou. Ele também disse que já teve outras passagens pelo poder público, mas não quis revelar quais.

O clínico geral e o “guru”
Alessandro é registrado no Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), sem especialidades cadastradas. Ele atendia em São José dos Campos (SP), antes de se mudar para Brasília.

Loiola se formou na Escola de Medicina da Santa Casa de Misericórdia (Emescam), em Vitória (ES), em 1996. Mudou-se para Belo Horizonte logo após a conclusão da graduação para cursar cirurgia geral na capital mineira. No entanto, sua especialização não se encontra registrada. Ele atendia como clínico geral em plantões nos hospitais.

Um de seus grandes orgulhos é o compartilhamento de um de seus vídeos pelo professor on-line de filosofia Olavo de Carvalho, que elogiou a publicação.

O guru do bolsonarismo postou a gravação na qual Loiola é considerado o “médico que emocionou o Brasil ao falar do governo” e responsável por dar uma “lição na direita”.

Fervor bolsonarista
No YouTube, Alessandro mantém um canal que usa para falar sobre política e defender com fervor o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Entre os temas abordados, estão preservação ambiental, globalismo e globalização, índios, armas e outros assuntos caros aos novos donos do poder.

Em seu canal, ele publicou um vídeo fazendo um balanço da sua primeira semana à frente da secretaria. “A gente fica olhando de fora e acha que o governo não está fazendo nada. ‘Fera’, não! Existem patriotas realmente dedicados a fazer o bem para essa nação.”

A coordenação faz parte do rol de atividades de “direção e assessoramento superiores” e tem remuneração superior a R$ 10 mil.

Ao falar sobre o início das atividades na secretaria, Alessandro garante que o salário não é sua prioridade: “Enxerguei como uma convocação para um serviço patriótico. E não interessa se esse serviço paga três vezes menos do que eu ganharia fazendo a mesma carga de trabalho como médico. Não é por dinheiro ou poder que a gente se envolve com algo assim”.

Recentemente, ele também fez uma postagem no Instagram em que enaltece o trabalho de Alvim à frente da pasta. “Foi uma guinada sensacional no Sistema Nervoso Central da hegemonia ideopática (sic) esquerdista. Ele está devolvendo voz e espaço aos artistas, da maneira mais transparente e democrática imaginável – e enfrentando a ira dos ‘grandes’ por causa disso, a preços altíssimos”, destacou.

A reportagem também procurou os ministérios da Cidadania e Turismo – a Secretaria de Cultura ficava na primeira pasta, mas foi transferida para o Turismo –, para mais informações sobre o currículo de Alessandro, porém não obteve retorno até a publicação desta matéria.

Últimas notícias