Até o fim do ano, todos os brasileiros serão vacinados, diz governo

Gestão Bolsonaro completa 900 dias neste 19 de junho. Em comunicado, Casa Civil falou em ações de promoção à saúde e retomada econômica

atualizado 19/06/2021 10:21

Presidente Jair Bolsonaro e o Ministro Marcelo Queiroga durante evento de Assinatura do contrato de transferência de tecnologia da AstraZeneca para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em Brasília.Igo Estrela/Metrópoles

Em documento alusivo aos 900 dias do governo Jair Bolsonaro (sem partido), a Casa Civil afirmou que “muitos esforços têm sido direcionados para as ações de promoção à saúde e também para a retomada do crescimento econômico do País”.

Segundo o documento, até o fim de 2021, “todos os brasileiros, que assim o desejarem, serão vacinados”. A previsão já havia sido apresentada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Desta vez, o governo frisou o caráter voluntário da imunização.

Ainda no que se refere à vacinação, o governo assinala a importância das Forças Armadas no combate à pandemia de Covid-19.

“A participação das Forças Armadas no processo de imunização da população brasileira teve início em janeiro deste ano, com o transporte de vacinas para locais de difícil acesso. As Forças Armadas também auxiliam na logística para vacinação de indígenas e de populações ribeirinhas”, aponta o documento.

O governo federal é investigado por uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), em funcionamento no Senado Federal, por omissões no enfrentamento à pandemia. A demora na aquisição e distribuição de vacinas é uma das linhas de apuração dos senadores.

A gestão Bolsonaro completa 900 dias neste sábado (19/6). O governo tem celebrado cada 100 dias, ocasiões em que divulga balanços periódicos.

Retomada econômica

O texto fala ainda em retomada econômica e cita alguns dados econômicos. “O Governo Federal é referência na retomada econômica. O PIB brasileiro cresceu 1,2% no primeiro trimestre de 2021, voltando ao patamar pré-Covid. Como resultado do empenho, o Brasil atingiu 100 pré-requisitos da OCDE, o que o torna o país não-membro com maior grau de alinhamento ao grupo.”

Também é citada a geração de mais de 837 mil empregos com carteira assinada no primeiro trimestre do ano, conforme o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado em 28 de abril de 2021.

Ainda é feita referência ao auxílio emergencial 2021, que chegou a um total de 39,1 milhões de famílias. O valor total investido nos repasses para a primeira parcela totalizou R$ 8,9 bilhões. Dada a persistência da crise econômica e sanitária, o governo decidiu prorrogar o auxílio por mais três meses, de agosto a outubro.

Os valores devem permanecer os mesmos das atuais parcelas, variando de R$ 150 a R$ 375. A prorrogação deve ser formalizada por meio da edição de uma medida provisória (MP) a ser publicada em breve.

O documento também faz referência à conclusão de obras de infraestrutura pelo país e a programas como Wi-Fi Brasil, que visa conectar as regiões do país. Também são citadas as aprovações de marcos regulatórios pelo Congresso, como a nova Lei do Gás.

Últimas notícias