Argentina: chamado por Fernández, Lula vai a ato sobre fim da ditadura

Ida ao país vizinho fechará a agenda de viagens internacionais do ex-presidente brasileiro neste ano

atualizado 06/12/2021 19:30

Rafaela Felicciano/Metrópoles

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) embarca na próxima quinta-feira para a Argentina (9/12), onde participará de um ato, na capital Buenos Aires, lembrando o fim da ditadura no país vizinho. O convite ao petista foi feito pelo presidente Alberto Fernández.

A ida de Lula à Argentina fechará a agenda de viagens internacionais deste ano do brasileiro, que pretende se candidatar, pelo PT, à Presidência da República em 2022.

Um dos convocadores da celebração é o deputado Máximo Kirchner, filho dos ex-presidentes Néstor e Cristina Kirchner, atual vice-presidente argentina.

No ato, Lula participará de uma passeata na Plaza de Mayo, ao lado de Fernández e Cristina Kirchner.

Na data, quando é celebrado o retorno à democracia na Argentina – dia 10 de dezembro – tomarão posse os novos legisladores no Congresso do país, lembrando que a oposição ao governo obteve pequena maioria –, e marca também a chegada à metade do mandato de Fernández.

Dia do retorno à democracia

O dia 10 de dezembro é celebrado na Argentina desde 1983, ano da derrota do país na Guerra das Malvinas contra o Reino Unido. Nesse mesmo ano, Raúl Alfonsín foi eleito presidente, pelo voto direto. Desde então, os argentinos celebram o dia 10 de dezembro como o retorno à democracia.

Fernández é aliado de Lula e alvo constante de críticas do presidente Jair Bolsonaro (PL). O argentino comemorou publicamente a saída de Lula da prisão, quando tomou posse, a fez gestos de apoio ao petista ao visitá-lo na cadeia em Curitiba (PR).

Mais lidas
Últimas notícias