metropoles.com

Bolsonaro fala sobre economia argentina: “Está ladeira abaixo”

Chefe do Palácio do Planalto afirmou que as medidas implementadas pelo presidente Alberto Fernández prejudicaram a situação do país vizinho

atualizado

Compartilhar notícia

Hugo Barreto/Metrópoles
Ministro da Saúde Marcelo Queiroga Atletas olímpicos e paralímpicos Jogos de Tóquio são recebidos pelo presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto
1 de 1 Ministro da Saúde Marcelo Queiroga Atletas olímpicos e paralímpicos Jogos de Tóquio são recebidos pelo presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto - Foto: Hugo Barreto/Metrópoles

A Argentina, terceiro maior parceiro comercial do Brasil, voltou a ser alvo de críticas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Nesta quinta-feira (14/10), o chefe do Palácio do Planalto afirmou que as medidas implementadas pelo presidente Alberto Fernández prejudicaram a economia do país vizinho.

“O povo tem que se informar do que está acontecendo para fazer a crítica. Caso contrário, faz igual fizeram na Argentina. Na Argentina, criticaram por criticar o governo Macri. Quem voltou? Voltou a turma do Foro de São Paulo”, afirmou o chefe do Executivo, em entrevista à Rádio Novas de Paz, de Recife (PE).

“A Argentina está de ladeira abaixo. A notícia de ontem é que eles congelaram mais de mil produtos básicos por três meses. Nós sabemos o que acontece com a política de congelamento. Num primeiro momento, é muito bom, o povo aplaude. ‘Opa, a carne voltou a R$ 20 o quilo, legal’. Só que depois, poucos meses depois, a carne continua R$ 20, mas não tem o que comprar mais”, continuou.

Para Bolsonaro, a Argentina é um motivo de tormento para os brasileiros, assim como a Venezuela. “É mais um país que estamos cada vez mais preocupados. A Argentina, estando bem, ajuda o Brasil”, ponderou.

Rixa

A Argentina é comandada pelo presidente Alberto Fernández. Eleito em 2019, ele é um dos líderes da coalização progressista Frente de Todos, que reúne setores do peronismo e do kirchnerismo, e inclui partidos de centro-esquerda e de esquerda.

Em outubro de 2019, o peronista derrotou a chapa do então mandatário argentino, Mauricio Macri, que era mais próximo de Bolsonaro. Com a volta da esquerda ao comando do país vizinho, o chefe do Executivo brasileiro lamentou. “A Argentina escolheu mal. Primeiro, foi o tal do Lula Livre, dizendo que ele [Lula] está preso injustamente. Ou seja, disse a que veio”, comentou.

Desde a vitória, Fernández e Bolsonaro caminham em lados opostos. A rivalidade fez com que o presidente brasileiro se recusasse a ir à posse do mandatário argentino, em dezembro de 2019.

A Argentina vive uma profunda crise econômica, que aumentou a pobreza e a desvalorização da moeda local. A pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, acentuou os problemas. Além disso, o governo sofre com incertezas sobre as tentativas de reequilíbrio das contas públicas.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?