Alvim pede desculpa após citação nazista: “Erro involuntário”

Após vídeo polêmico com referências ao nazismo, secretário pediu desculpas e destacou que "deu a vida" pelo atual governo

NILTON FUKUDA/AE

atualizado 17/01/2020 13:17

O secretário especial da Cultura, Roberto Alvim, pediu desculpas publicamente, nesta sexta-feira (17/01/2020), e disse que colocou o cargo à disposição do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O secretário foi às redes sociais no início da tarde desta sexta-feira após parafrasear Joseph Goebbels, ministro da Propaganda nazista. Alvim destacou, novamente, que o erro foi “involuntário” e garantiu que, se soubesse a origem da citação, não a teria feito.

“Meu posicionamento cristão jamais teria qualquer relação com assassinos. Peço perdão à comunidade judaica, pela qual tenho profundo respeito. Do fundo do coração: perdão pelo meu erro involuntário”, complementou.

“Tendo em vista o imenso mal-estar causado por esse lamentável episódio, coloquei imediatamente meu cargo à disposição do presidente Jair Bolsonaro, com o objetivo de protegê-lo”, escreveu.

O secretário destacou, em tom de despedida, que “deu a vida” pelo governo Bolsonaro. “Dei minha vida por esse projeto de governo, e prossigo leal ao presidente, e disposto a ajudá-lo no futuro na dignificação da Arte e da Cultura brasileiras”, disse.

O vídeo, publicado pela Secretaria da Cultura na tarde dessa quinta-feira (16/01/2020), apresenta o lançamento do Prêmio Nacional das Artes.

Últimas notícias