“Os Poderes são independentes”, diz Bolsonaro após decisão de Toffoli

O presidente brasileiro disse que não poderia interferir na decisão do ministro do STF de suspender ações que usem compartilhamento de dados

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 19/07/2019 19:15

Ao ser questionado sobre a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, que suspendeu processos que envolvam o compartilhamento de dados sem autorização judicial, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que os Três Poderes são independentes e, por isso, ele não poderia interferir.

“Você acha justo que um deputado questione um decreto meu?”, questionou Bolsonaro. O mandatário brasileiro participou de evento da igreja evangélica Sara Nossa Terra, nesta sexta-feira (19/07/2019), em Brasília.

Bolsonaro afirmou ainda que “se não quisesse combater a corrupção, não teria colocado o [Sergio] Moro como ministro [da Justiça e Segurança Pública]”.

O ministro do Supremo tomou a decisão depois do pedido do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro após o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) apontar movimentações bancárias suspeitas do parlamentar.

Com isso, inquéritos e ações penais que usam dados do Coaf, da Receita Federal e do Banco Central estão suspensos.

Valores da família
No evento, Bolsonaro reafirmou que, apesar de o Estado ser laico, os brasileiros são cristãos. Emocionado e na frente de centenas de fiéis, o chefe do Executivo garantiu que, em sua gestão, os valores tradicionais de família serão exaltados. “Deus está acima de tudo. Em nosso governo, a família terá a atenção e o respeito que merece”, afirmou.

Segundo o presidente, o Brasil estava “à beira do precipício” ético e moral devido a governos anteriores ao seu. Porém, ele disse que está “resgatando” tais valores.

Últimas notícias