Gabinete de Bivar: empresa vende notas fiscais para justificar gastos

A ML Serviços de Comunicação pertence a Marta Patrícia Heitor Lemos, assessora do deputado, que é presidente do PSL, partido de Jair Bolsonaro

Valter Campanato/Agencia BrasilValter Campanato/Agencia Brasil

atualizado 06/06/2019 19:08

O presidente nacional do Partido Social Liberal (PSL), deputado federal Luciano Bivar (PE), apresentou à Câmara dos Deputados e ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) notas fiscais “frias” de duas empresas que negociam a venda deste tipo de documento. As informações são da revista Crusoé.

A ML Serviços de Comunicação pertence a uma assessora de Bivar e foi destinatária de R$ 50 mil de verbas da Câmara de 2017 a abril deste ano.

Marta Patrícia Heitor Lemos, dona da empresa e filiada do PSL desde 2013, confirma ter fornecido as notas relativas aos anos de 2017 e 2018 sem ter prestado os serviços, que teriam sido feitos por uma assessora que não tinha empresas em seu nome.

“Ela não tinha empresa. Desta forma, eu passava a nota e ela pagava o imposto”, disse Marta, que afirma ter começado a trabalhar no gabinete de Bivar em fevereiro deste ano.

Em um áudio divulgado pela revista, Marta explica como vende notas frias. Primeiro ela emite uma nota fiscal de serviços de clipagem em nome do parlamentar, logo após informa uma conta bancária para que o gabinete faça o pagamento. Após receber o montante, ela devolve parcialmente o valor. Antes da devolução, Marta tira sua porcentagem.

A ML Serviços tem um histórico de contratações com o partido do presidente da República, Jair Bolsonaro, e com o gabinete de Luciano Bivar. Só neste ano, de fevereiro a abril, Bivar passou R$ 7 mil reais por mês para a empresa.

Últimas notícias