“Está difícil a escolha”, diz Bolsonaro sobre indicação à PGR

Segundo o presidente da República, há bons nomes na disputa. Anúncio pode ser feito ainda nesta semana

Michael Melo/MetrópolesMichael Melo/Metrópoles

atualizado 14/08/2019 14:39

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que está com dificuldades para escolher o nome da pessoa que vai assumir a Procuradoria-Geral da República. A declaração foi dada durante viagem a Parnaíba, no litoral do Piauí, nesta quarta-feira (14/08/2019).

“Tenho tempo ainda. Está difícil a escolha, temos muito bons nomes. Tenho certeza de que o escolhido, além de ser aprovado pelo Senado, todos se orgulharão dele. Não tem nome A, B ou C. Há vários, 18 no páreo, aí”, destacou o mandatário do país.

O chefe do Executivo nacional optou por não dar detalhes sobre possíveis candidatos ao cargo. Além da lista tríplice definida pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), os nomes do subprocurador Augusto Aras e da atual dona do posto, Raquel Dodge, têm chances de serem escolhidos.

“Quero uma pessoa que esteja alinhada e afinada com o futuro do Brasil. Que não seja xiita na questão ambiental, na questão de minorias, na questão indígena, entre outros. Queremos um PGR que esteja preocupado em destravar a economia”, ressaltou Bolsonaro.

Nos últimos dias, o titular do Palácio do Planalto tem se encontrado com postulantes à sucessão de Raquel Dodge. Mário Bonsaglia, primeiro colocado na lista tríplice da PGR, conversou com o presidente nessa terça-feira (13/08/2019). O chefe do Executivo federal, contudo, não é obrigado a optar por nome estabelecido na lista da ANPR.

Bolsonaro também esteve, separadamente, com os subprocuradores ​José Bonifácio Borges de Andrada e Antonio Carlos Simões Martins Soares, em uma agenda que se estendeu até 21h.

A atual procuradora-geral da República, Raquel Dodge, fica no cargo até setembro. Bolsonaro indicou que pode divulgar a escolha até a próxima sexta-feira (14/08/2019).

Últimas notícias