Bonsaglia, 1º da lista tríplice para a PGR, faz aceno a Bolsonaro

Subprocurador foi recebido no Palácio do Planalto e sinalizou concordar com parte da polêmica pauta ambiental do governo

Divulgação/ANPRDivulgação/ANPR

atualizado 13/08/2019 16:26

Às vésperas de definir sua indicação para a Procuradoria-Geral da República (PGR), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) recebeu, na tarde desta terça-feira (13/08/2019), o subprocurador Mário Bonsaglia, candidato mais votado na lista tríplice da categoria para a PGR.

Na agenda oficial, o encontro do presidente era com o ministro Jorge Antonio de Oliveira, que intermediou o contato. “Fiquei muito satisfeito de ser recebido e de ser ouvido numa audiência que transcorreu de forma bastante agradável, com troca de ideias”, disse Bonsaglia, ao deixar o Palácio do Planalto.

Entre os assuntos conversados, segundo o subprocurador, estão pautas ligadas ao meio ambiente. “A importância de compatibilizar a preservação da Amazônia com o desenvolvimento sustentável… Essa é minha posição também. Respeitar direitos indígenas e ao mesmo tempo promover desenvolvimento sustentável”, relatou, brevemente, sinalizando concordância com uma das posições mais polêmicas do presidente da República.

Essa foi a primeira vez que Bolsonaro se reuniu com um dos três escolhidos por membros do Ministério Público Federal (MPF) na eleição organizada pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR). Desde 2003, o nome do procurador-geral da República vem dessa seleção, embora isso não seja uma determinação legal. A lista foi entregue ao presidente no dia 5 de julho.

Nos bastidores, a informação é que o mais cotado para a vaga é o subprocurador Augusto Aras, que não participou da eleição para a lista. A decisão de Bolsonaro, no entanto, ainda não foi tomada. A atual procuradora-geral, Raquel Dodge, fica no cargo até setembro.

Últimas notícias