Denúncia do MPF contra Greenwald é “ataque à democracia”, diz PT

O MPF acusou o jornalista de participar da invasão de celulares de autoridades junto com hackers no âmbito da "Vaza Jato"

Lula Marques/Agência PTLula Marques/Agência PT

atualizado 21/01/2020 16:51

O Partido dos Trabalhadores (PT) divulgou uma nota nesta terça-feira (21/01/2020) na qual diz que a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o jornalista Glenn Greenwald é um “ataque à democracia”.

De acordo com o partido, a motivação da denúncia é “clara e tem o objetivo de vingança pelas reportagens que denunciaram os crimes da Lava Jato e confirmaram a parcialidade de Sergio Moro e seus procuradores”.

“Trata-se de mais um crime, desta vez contra a liberdade de imprensa, cometido pelos parceiros de Sergio Moro com o incentivo e cobertura das Organizações Globo”, diz trecho da nota.

O jornalista foi denunciado pelos crimes de associação criminosa e interceptação telefônica, informática ou telemática, sem autorização judicial ou com objetivos não autorizados em lei. Durante a Operação Spoofing, ele não havia sido investigado ou indiciado pela Polícia Federfal.

Vaza Jato
Glenn Greenwald é cofundador e colunista do site The Intercept, que usou as mensagens obtidas por hackers para publicar uma série de reportagens no portal sobre as relações de procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba com autoridades como o ex-juiz federal Sergio Moro, hoje ministro da Justiça e Segurança Pública.

No comunicado, o PT também diz que “o povo brasileiro é a maior vítima dos ataques às liberdades democráticas e à soberania nacional, por parte da extrema-direita e seus aliados na mídia, no mercado e nas instituições”.

A nota termina com o partido dizendo que continuará “lutando pelo restabelecimento pleno do estado de direito em nosso país, o que exige a anulação da sentença ilegal de Sergio Moro contra Lula e a punição dos crimes cometidos pela Lava Jato contra a Justiça e contra o Brasil”.

Leia a íntegra da nota divulgada pelo PT:

“Em mais um episódio de abuso de poder e usurpação de competência, um procurador do Ministério Público Federal apresentou hoje (21/01) denúncia criminal contra o jornalista Glenn Greenwald, editor do site The Intercept Brasil. A motivação é clara: vingar-se pelas reportagens que denunciaram os crimes da Lava Jato e confirmaram a parcialidade de Sergio Moro e seus procuradores, apontada ao Supremo Tribunal Federal pela defesa do ex-presidente Lula.

A denúncia do MP contraria frontalmente decisão liminar do STF, que proibiu a inclusão de Greenwald e seu site nas investigações da Polícia Federal que tinham o objetivo de criminalizar a série de reportagens da Vaza Jato. Trata-se de mais um crime, desta vez contra a liberdade de imprensa, cometido pelos parceiros de Sergio Moro com o incentivo e cobertura das Organizações Globo.

A vingança da Lava Jato contra o jornalismo reforça a escalada da extrema-direita – por meio do governo e de seus agentes em instituições como o Judiciário e o MP – na direção de um estado policial. Repressão, censura, violência policial e judicial são os instrumentos que utilizam para implantar, à força, um programa econômico que arruína o país e destrói os direitos do povo, a começar pelo direito ao emprego.

A Lava Jato foi extremamente útil à implantação desse programa, que para se impor precisa calar manifestações e atacar a democracia.

Não é mera coincidência que a denúncia contra o editor da Vaza Jato tenha sido feita horas depois de o ministro da destruição da economia brasileira, Paulo Guedes, ter anunciado na Suíça a entrega total das nossas compras públicas às empresas estrangeiras. Esta é a consequência direta da destruição das grandes empresas nacionais competitivas, privadas e estatais, promovida pela Lava Jato e por uma sistemática campanha de mídia contra o projeto de desenvolvimento soberano com inclusão social que o país conheceu nos governos do PT.

O povo brasileiro é a maior vítima dos ataques às liberdades democráticas e à soberania nacional, por parte da extrema-direita e seus aliados na mídia, no mercado e nas instituições. O PT seguirá lutando pelo restabelecimento pleno do estado de direito em nosso país, o que exige a anulação da sentença ilegal de Sergio Moro contra Lula e a punição dos crimes cometidos pela Lava Jato contra a Justiça e contra o Brasil.

O PT está solidário ao jornalista Glenn Greenwald, em defesa da liberdade de imprensa, da democracia e da soberania nacional.

Comissão Executiva Nacional do PT”

Últimas notícias