Decreto dos Portos: sócio da Engevix fecha delação contra Temer

Segundo a Polícia Federal, empresário entregará detalhes sobre suposta atuação do presidente em esquema no setor

Daniel Ferreira/MetrópolesDaniel Ferreira/Metrópoles

atualizado 06/08/2018 13:24

O empresário José Antunes Sobrinho, sócio da empreiteira Engevix, fechou um acordo de delação premiada com a Polícia Federal (PF) sobre a suposta atuação do presidente da República, Michel Temer (MDB), em esquema de propina no setor portuário. A informação foi obtida pelo site O Antagonista.

O acordo de Antunes vai ajudar nas investigações que envolvem Temer, no âmbito do Inquérito dos Portos. A delação com a PF ocorre depois que as negociações com a Procuradoria-geral da República (PGR) não avançaram.

O empresário entregou detalhes sobre vários pagamentos ao emedebista, entre eles o R$ 1 milhão entregues ao coronel João Batista Lima Filho, operador financeiro de Temer. A propina teve origem em contrato da Argeplan, de Lima, com a Eletronuclear para obras de Angra 3.

O processo investigava inicialmente, além de Temer, Rodrigo Rocha Loures (MDB-PR), ex-assessor do presidente e ex-deputado federal, Grecco e Ricardo Conrado Mesquita, que é diretor da Rodrimar. Ele foi aberto para apurar se Temer recebeu vantagens indevidas em troca de favorecimento a empresas do setor portuário com a edição do Decreto dos Portos, em maio de 2017.

Ao longo da apuração, entraram também na mira o coronel Lima, amigo pessoal do presidente, e executivos do Grupo Libra. Todos negam envolvimento em irregularidades.

Últimas notícias