Datafolha: maioria reprova falas de Bolsonaro sobre “cocô” e “paraíba”

A pesquisa ouviu 2.878 pessoas em 175 municípios, entre os dias 29 e 30 de agosto

JP Rodrigues / MetrópolesJP Rodrigues / Metrópoles

atualizado 02/09/2019 14:30

A maior parte dos brasileiros discorda das declarações polêmicas do presidente Jair Bolsonaro (PSL), segundo pesquisa Datafolha publicada no jornal Folha de S.Paulo nesta segunda-feira (02/09/2019). Algumas delas, inclusive, levaram a uma crise diplomática, como os embates entre o chefe do Executivo brasileiro e o mandatário francês, Emmanuel Macron, sobre a situação da Amazônia.

Ao sugerir a jornalistas uma forma de contribuir para a preservação do meio ambiente, o presidente disse que era preciso “fazer cocô dia sim, dia não”. De acordo com o levantamento, 88% dos brasileiros não concordam com a declaração de Bolsonaro. Apenas 10% disseram estar de acordo com a afirmação.

Na mesma ocasião, o chefe do Executivo disse que “pessoas com mais cultura têm menos filhos”, mas ele seria a exceção, pois teve cinco. Em relação a essa declaração, Bolsonaro teve a desaprovação de 63%.

“Paraíba”
Outra frase polêmica de Bolsonaro avaliada pelo Datafolha foi sobre o Nordeste. Em uma conversa informal com o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, o presidente disse: “Daqueles governadores ‘de paraíba‘, o pior é o do Maranhão. Tem que ter nada com esse cara”. Na oportunidade, ele se referia a Flávio Dino (PCdoB). De acordo com a pesquisa, 69% dos brasileiros disseram discordar da fala.

Sobre a indicação do filho Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para a Embaixada do Brasil em Washington, nos Estados Unios, Bolsonaro afirmou que “pretendia beneficiar o filho, sim”. Essa declaração foi reprovada por 70% dos entrevistados.

A pesquisa ouviu 2.878 pessoas em 175 municípios, entre os dias 29 e 30 de agosto.

Últimas notícias