Bolsonaro quer mandar Forças Armadas para combater fogo na Amazônia

O presidente sinalizou que vai assinar uma ação de Garantia da Lei e da Ordem nesta sexta-feira. À tarde, se reúne com ministros de Estado

Andre Borges/Esp. MetrópolesAndre Borges/Esp. Metrópoles

atualizado 23/08/2019 13:03

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) sinalizou que vai assinar uma ação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) das Forças Armadas para combater incêndios na Amazônia. O chefe do Executivo disse, no entanto, que o problema para esta força-tarefa é o dinheiro.

“A tendência é essa, a gente fecha agora de manhã”, declarou o presidente ao deixar o Palácio da Alvorada na manhã desta sexta-feira (23/08/2019). Bolsonaro evitou falar com a imprensa na saída, conversa que tem sido rotineira nos últimos meses, e seguiu para o Palácio do Planalto.

Na parte da tarde, está agendada uma reunião para tratar dos incêndios florestais com os ministros da Defesa, Fernando Azevedo, das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e da Secretaria-Geral da Presidência da República, Jorge Antonio de Oliveira. Também participa o secretário-executivo da Casa Civil da Presidência da República, José Vicente Santini.

Nesta sexta-feira (23/08/2019), o Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) publicou uma portaria no Diário Oficial da União (DOU) que autoriza a contratação de brigadas federais para conter as chamas no país. Ao todo, 16 estados receberão o reforço, entre eles, o Acre, o Amazonas e o Distrito Federal.

Últimas notícias