Bolsonaro confirma veto a 36 pontos da Lei de Abuso de Autoridade

O presidente brasileiro não considera a iniciativa uma afronta ao parlamento, que aprovou a proposta

Michael Melo/MetrópolesMichael Melo/Metrópoles

atualizado 05/09/2019 12:19

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) confirmou nesta quinta-feira (05/09/2019) que acatará 36 sugestões de vetos recebidas ao projeto de lei de abuso de autoridade, aprovado pela Câmara dos Deputados. Em discurso no Palácio do Planalto, o chefe do Executivo nacional adiantou que a decisão de acolher as recomendações não significa uma afronta ao Congresso Nacional.

“O espírito do projeto vai ser mantido, mas 36 emendas serão apresentadas. Nós queremos combater o abuso de autoridade, mas não podemos botar um remédio excessivamente forte, de modo que venha a matar o paciente”, disse o presidente. “Acolhi as 36. Não estou afrontando o Parlamento, não quero fazer média com a população nem ceder ao clamor de parte de muitos que pedem o ‘veta tudo’. Não sou radical”, indicou.

Os vetos precisam ser publicados no Diário Oficial da União (DOU) ainda nesta quinta-feira. O mandatário da República, na hora do almoço, deve conversar com o líder do governo no Congresso, Major Vitor Hugo (PSL-GO), sobre o assunto.

O político goiano foi responsável por intermediar os pedidos ao presidente e agora terá de atuar no sentido de convencer os parlamentares a não derrubarem os vetos. A palavra final é do Congresso Nacional.

Últimas notícias