Álvaro Antônio vai ao Senado falar sobre o laranjal do PSL

O autor do requerimento que será cumprido nesta terça é o senador Randolfe Rodrigues. O ministro sempre negou qualquer irregularidade

Valter Campanato/Agência BrasilValter Campanato/Agência Brasil

atualizado 21/10/2019 14:45

Após não atender a um primeiro convite, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, vai prestar esclarecimentos no Senado Federal nesta terça-feira (22/10/2019) sobre as denúncias de candidaturas laranjas no PSL. A presença do aliado do presidente Jair Bolsonaro (PSL) na comissão foi confirmada pela assessoria do Ministério do Turismo ao Metrópoles.

O autor do requerimento é o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Álvaro Antônio já havia sido previamente convidado à Comissão de Transparência Fiscalização e Controle, do Senado Federal, em 19 de março deste ano, mas não compareceu.

Para Randolfe, o ministro deve explicações sobre o emprego de candidaturas laranjas no PSL durante as eleições de 2018. O caso é investigado pela Polícia Federal (PF) e tem pressionado o mandatário da República, que fez discurso anti-corrupção na disputa ao Planalto. 

Em junho, foram presos Mateus Von Rondon, assessor do ministro; Haissander Souza de Paula, ex-assessor; e Roberto Silva Soares, ex-assessor e primeiro-secretário do diretório do PSL em Minas Gerais. Segundo a Polícia Federal, Roberto Silva Soares é suspeito de negociar a devolução de dinheiro recebido por candidatas do partido.

No requerimento, Randolfe esclarece que sete postulantes de Pernambuco e Minas Gerais receberam recursos do PSL, mas obtiveram poucos votos nas últimas eleições. Para o senador, isso “é um forte indicativo de que foram candidaturas laranjas”. Ou seja: concorreram apenas para cumprir a lei que exige 30% de participação feminina na lista de candidatos.

Álvaro Antônio nega ter cometido qualquer irregularidade na campanha eleitoral de 2018.

Últimas notícias