Polícia Civil do Rio prende 18 suspeitos de envolvimento com a milícia

Um ex-militar do Exército e um acusado de homicídio estão entre os presos. Também foram apreendidos uniformes da polícia e do Exército

atualizado 14/05/2021 16:33

Polícia apreende fardas do Exército e uniforme da Polícia CivilDivulgação/Polícia Civil do Rio de Janeiro

Rio de Janeiro – Em uma operação do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE), agentes prenderam 18 suspeitos de envolvimento com a milícia, nesta sexta-feira (14/5).

De acordo com a Polícia Civil, um ex-militar do Exército e um acusado de homicídio estão entre os presos em bairros como Curicica e Campo Grande, na zona oeste. Houve ainda ação em municípios da Baixada Fluminense, Região Metropolitana.

Foram apreendidos uniformes da Polícia Civil e do Exército, além de telefones celulares e munições. Mais de dez estabelecimentos foram fiscalizados. Três proprietários foram presos e autuados pelo crime de receptação. A ação policial teve o apoio de informações do Disque-Denúncia.

“A operação de hoje é mais uma da força-tarefa da Polícia Civil de combate à milícia em todo o estado.  Já são mais de 600 presos e mais de R$ 1,5 bilhão retirados desses criminosos. Foram presos milicianos e estourados estabelecimentos comerciais explorados economicamente pela milícia. As ações vão continuar”, afirmou o diretor do DGPE, delegado Felipe Curi.

Veja o vídeo da operação:

 

No Rio, Wellington da Silva Braga, o Ecko, de 34 anos, é apontado como o maior miliciano do estado. Ele tem uma tropa pessoal de 100 seguranças fortemente armados e é procurado pela polícia.

Últimas notícias