Testemunhas sabiam de relacionamento conturbado de advogada espancada

Depoentes foram à Deam-GO em 15 de dezembro e disseram ter conhecimento de agressões anteriores do piloto Victor Junqueira contra a vítima

ReproduçãoReprodução

atualizado 27/12/2018 9:17

Pessoas ouvidas pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Goiânia (GO) na condição de testemunhas afirmaram ter conhecimento de agressões contra a advogada Luciana Sinzimbra cometidas por Victor Augusto Amaral Junqueira, ex-namorado da vítima. Nesta quarta-feira (26/12), vídeos que mostram o acusado espancando a jovem circularam pelas redes sociais.

De acordo com um dos depoentes, “as brigas entre os envolvidos eram recorrentes”. A pessoa disse à Deam que Victor agredia Luciana verbalmente com frequência. Informou ainda que o suspeito já teria empurrado a advogada em outras ocasiões.

A testemunha em questão foi quem socorreu Luciana poucas horas após a agressão gravada em vídeo. Por telefone, ela foi acionada pela vítima na madrugada do dia 15 de dezembro, por volta das 3h37. Logo em seguida, pediu um carro por meio de um aplicativo e se dirigiu até a casa da jovem. Na ligação, a advogada contou ter sido trancada no quarto pelo namorado. Disse, inclusive, que estava muito machucada e que temia novas agressões.

Luciana ligou para essa testemunha chorando. A pessoa relatou à Deam que, ao chegar à residência da advogada, Victor estava fumando na sacada e, quando a viu, tentou justificar o ocorrido. Depois de ignorar o ex-namorado da vítima, a depoente foi ao quarto da jovem para socorrê-la.

Assim que entrou no lugar onde Luciana se encontrava, a testemunha viu que o nariz da vítima sangrava. A advogada apresentava várias escoriações pelo corpo, estava com a cabeça inchada e reclamava de falta de ar. O quarto estava trancado quando as agressões aconteceram.

A depoente pediu então que Luciana arrumasse suas coisas para dormir em sua casa. Ao sair do apartamento, a dupla desceu de elevador junto do agressor, que, novamente, tentou se justificar enquanto iam embora do imóvel da advogada. Na residência da testemunha, a vítima mostrou os vídeos que ela havia gravado. Na mesma madrugada, Victor enviou mensagens para essa declarante, admitindo o espancamento.

Uma segunda pessoa prestou depoimento na Deam. Afirmou conhecer Luciana há cinco meses e ter ciência do relacionamento conturbado do casal. Contou, na delegacia, sobre Victor Junqueira ter empurrado a advogada anteriormente.

Essa depoente afirmou que Luciana foi até a sua casa, por volta das 12h30 do dia 15 de dezembro, buscar pertences que havia deixado lá. Ao notar que a advogada estava em um carro de aplicativo, a testemunha perguntou sobre Victor. Nesse momento, a vítima tirou os óculos do rosto, mostrou e relatou as lesões provocadas pelo ex-namorado. Em seguida, mostrou os vídeos gravados enquanto era espancada. Por fim, ela disse que Luciana chorou bastante durante a visita.

Entenda o caso
Em 14 de dezembro, Luciana gravou vídeo (veja abaixo) sem que seu namorado soubesse. Nas imagens, Victor é flagrado espancando a advogada no apartamento dela, no Setor Marista, em Goiânia. A vítima registrou ocorrência no dia seguinte e contou às autoridades policiais que namorava o autor das agressões havia três anos. Ela relatou também não ter sido a primeira vez que foi atacada.

No dia da filmagem, o casal retornava de uma confraternização do trabalho de Luciana. É possível ouvi-la dizer: “Você vai me matar desse jeito”.

View this post on Instagram

CENAS FORTES: Mulher é espancada por namorado em Anápolis – com câmera escondida ela registrou a agressão. (Em respeito à vítima e a família nublamos o rosto da advogada). . Uma advogada registrou um boletim de ocorrência contra o namorado por violência doméstica, em Anápolis. Com uma câmera escondida, a mulher fez um vídeo que mostra toda a agressão, no dia 14 de dezembro. A Polícia Civil divulgou as imagens nesta segunda-feira, 24. . A vítima contou à polícia que namora o autor das agressões há 3 anos e nunca havia registrado ocorrência policial achando que as brigas iriam acabar. . No dia em que o vídeo foi feito, os dois chegaram no apartamento da vítima localizado em Goiânia, o autor da agressão ficou transtornado porque a namorada não teria insistido para que ele ficasse. O caso vai ser investigado pela polícia.

A post shared by Bill Guerra Mochilink (@bill.guerra) on

 

Últimas notícias