Pai de santo é investigado por supostos abusos sexuais em Goiânia

O homem de 61 anos tem um terreiro na cidade e já foi denunciado por 19 vítimas. Delegacia da Mulher já ouviu 13 pessoas

Michael Melo/MetrópolesMichael Melo/Metrópoles

atualizado 27/06/2019 11:58

A Polícia Civil de Goiás investiga uma série de denúncias feitas por mulheres que acusam um pai de santo, de 61 anos, de abuso sexual em Goiânia. Entre as possíveis vítimas que procuraram as delegacias entre terça (25/06/2019) e quarta-feira (26/06/2019), há menores de idade. As informações são do G1.

De acordo com a delegada Mariana Costa, responsável pelo caso, 13 pessoas prestaram depoimento. No entanto, o número de denunciantes pode ser maior e chegar a 19. As jovens procuraram a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), do Centro e do Jardim Curitiba.

A delegada Cássia Sertão afirmou que dois inquéritos já foram abertos para apurar os supostos casos de crime de violação sexual mediante fraude. “As vítimas contaram que ele usava a prática libidinosa, ou não, como justificativa para a elevação espiritual e resolver os problemas delas. Todas são muito jovens e há relato de que ele praticou sexo oral em algumas e até relação sexual mesmo”, explicou.

Uma estudante universitária contou que o pai de santo incorporava uma entidade e prometia o desenvolvimento da mediunidade por meio do tratamento. “Eu fui convidada e os abusos começaram quando fui escolhida para fazer parte dessas consultas com essa entidade”, relatou.

A delegada, no entanto, informou que os casos relatados até então não são recentes, o que pode dificultar a realização de exames de corpo de delito. Nessa quarta-feira, uma equipe da Deam foi ao terreiro, situado no Balneário Meia Ponte, mas não encontrou ninguém. A delegada garante que vai intimá-lo em outro endereço.

Se comprovado, o pai de santo pode pegar de 2 a 6 anos de prisão.

Últimas notícias