Papa Francisco expressa tristeza por imagem de pai e filha afogados

Porta-voz do Vaticano diz que pontífice reza por Óscar Ramírez e sua bebê, Valeria, assim como por todos migrantes que perderam suas vidas

JULIA LE DUC/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOJULIA LE DUC/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

atualizado 26/06/2019 13:13

O papa Francisco ficou profundamente triste depois de ver a foto de um pai e de sua filha de quase dois anos, ambos salvadorenhos, mortos afogados no Rio Grande, na fronteira entre México e EUA.

“O Santo Padre viu, com imensa tristeza, a imagem do pai e de sua filha afogados no Rio Grande enquanto tentavam atravessar a fronteira”, afirmou o porta-voz do Vaticano, Alessandro Gisotti, em nota.

“O papa está profundamente entristecido com as mortes e reza por eles e para todos os migrantes que perderam suas vidas tentando escapar da guerra e da miséria”, completou.

A imagem que percorreu o mundo mostra Óscar Alberto Martínez Ramírez, de 25 anos, e sua filha Valeria, de 1 ano e 11 meses, afogados em uma das margens do Rio Grande, perto da cidade mexicana de Matamoros.

Tânia Vanessa Ávalos, mulher de Oscar e mãe de Valeria, explicou às autoridades que a água levou a criança durante a travessia e que o pai tentou ajudá-la, mas ambos foram vencidos pela correnteza do rio e desapareceram.

Hoje, depois da audiência geral às quartas-feiras, o Papa agradeceu aos mexicanos por “serem tão acolhedores” com os migrantes, durante a saudação aos fiéis em espanhol na Praça de São Pedro.

Como de costume, Francisco cumprimentou os grupos de fiéis provenientes da Espanha e da América Latina, incluindo peregrinos de Tlalnepantla, no México, acompanhados por seu arcebispo, José Antonio Fernández Hurtado, e pediu ao Espírito Santo que “faça com que as comunidades sejam acolhedoras e solidárias, vivendo a liturgia como encontro com Deus e com os irmãos”.

E, dirigindo-se aos fiéis mexicanos, Francisco disse: “Quero parabenizar os mexicanos por serem tão receptivos aos migrantes. Que Deus lhes retribua por isso”.

O papa tem expressado com frequência seu apoio aos esforços do México para ajudar os migrantes ao mesmo tempo em que critica os EUA por bloqueá-los na fronteira. Durante uma visita à fronteira dos dois países em 2016, ele criticou o então candidato presidencial Donald Trump, sugerindo que qualquer um que quisesse construir um muro ao longo da fronteira “não era um cristão”.

Em abril, o pontífice doou US$ 500 mil para ajudar os migrantes no México, oferecendo assistência a projetos locais que fornecem alimentos, alojamento e necessidades básicas.

Últimas notícias