Neymar: polícia pede mais prazo para investigar acusação de estupro

Crime teria acontecido no dia 15 de maio deste ano, durante encontro do jogador com a modelo Najila Trindade

BRUNO ESCOLASTICO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDOBRUNO ESCOLASTICO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

atualizado 01/07/2019 22:28

A Polícia Civil de São Paulo pediu, nesta segunda-feira (01/06/2019), maior prazo para conclusão do inquérito policial que apura a denúncia de agressão e estupro da modelo Najila Trindade Mendes de Souza pelo jogador de futebol Neymar Jr. O crime teria acontecido no dia 15 de maio deste ano, durante o encontro com o jogador em um quarto de hotel em Paris, na França.

A Justiça é que vai decidir o prazo adicional que a Polícia Civil terá para finalizar o inquérito. Mais informações não podem ser fornecidas, porque o caso segue sob sigilo de Justiça.

Em 13 de junho, o jogador Neymar depôs na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, na zona sul da capital paulista, durante cerca de três horas.

A delegada Juliana Bussacos preside o inquérito. Na saída do local, o jogador agradeceu o apoio e as mensagens que está recebendo, além de dizer que estava muito tranquilo.

Últimas notícias