Ex-assessor que matou Gerson Camata foi condenado no DF a indenizá-lo

Réu confesso do homicídio, Marcos Venicio Moreira Andrade fez acusações contra o político capixaba e precisou ressarci-lo em R$ 50 mil

atualizado 27/12/2018 8:32

DIVULGAÇÃO/PCES

Ex-governador do Espírito Santo assassinado nessa quarta-feira (26/12), Gerson Camata (MDB) processou seu ex-assessor – réu confesso do homicídio – Marcos Venicio Moreira Andrade por danos morais, em 2009.

À época do processo, o autor do crime fez uma série de acusações contra o emedebista. Descontente com as provocações de Andrade, o ex-parlamentar entrou na Justiça, que acabou por não reconhecer a materialidade da denúncia e condenou Marcos ao pagamento de R$ 50 mil ao então senador, já em 2012. A ação foi julgada pela Justiça do Distrito Federal, que também determinou o pagamento das custas processuais em R$ 5 mil.

O caso foi publicado pelo jornal O Globo em 19 de abril de 2009. Andrade disse que os funcionários de Camata eram obrigados a pagar despesas dele. Também denunciou supostas mesadas recebidas pelo então senador e pagas por empreiteiras. O uso de notas fiscais falsas em campanha eleitoral também foi um dos argumentos do ex-assessor, que afirmou à polícia, nessa quarta (26), ter atuado como administrador do suposto caixa 2 de Camata.

A revelação do caso pelo O Globo levou as denúncias à Procuradoria-Geral da República (PGR) e à Corregedoria do Senado. Ambas foram arquivadas.

Marcos Venicio recorreu do veredito da Justiça do DF. Em 2013, por decisão do ministro Luís Roberto Barroso, o processo desceu do Supremo do Tribunal Federal (STF) para a Justiça Comum, visto que Camata não era mais senador (veja despacho do ministro).

Caso Camata será analisado … by on Scribd

Inconformado por ter perdido o litígio e pela obrigatoriedade de ressarcir o alvo de sua investida judicial, Marcos Venicio Moreira Andrade decidiu cobrar a fatura de Camata nessa quarta. Em área nobre de Vitória, o ex-assessor matou o ex-patrão com um tiro à queima-roupa.

Perfil
Gerson Camata exerceu mandato como senador por 24 anos, de 1987 até 2011. O presidente do Senado Federal, Eunício Oliveira (MDB-CE), divulgou nota de pesar:

“Recebemos com muita tristeza a notícia da morte do ex-senador Gerson Camata, que por 24 anos representou, com destaque, o Espírito Santo no Senado Federal, depois de construir sólida carreira política como vereador, deputado estadual e governador. Nossa solidariedade aos seus familiares, amigos e ao povo capixaba”.

Camata também foi vereador de Vitória, deputado estadual e deputado federal. Começou a vida profissional como jornalista e apresentador no programa Ronda Da Cidade, na Rádio Cidade de Vitória. Era formado em ciências econômicas pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Foi decretado sete dias de luto oficial no estado pela morte do ex-governador e político capixaba.

Últimas notícias