PF prende acusados do assassinato de brasileira em Los Angeles

Ana Paula Braga foi morta no último dia 30 de janeiro. Suspeitos foram capturados no Espírito Santo

atualizado 22/02/2020 16:53

A Polícia Federal prendeu dois homens, acusados do assassinato da brasileira Ana Paula Braga, 23 anos, no último dia 30 de janeiro, em Los Angeles, nos Estados Unidos.

A operação ocorreu na manhã deste sábado (22/02/2020), na cidade capixaba de Cariacica. A prisão dos acusados só foi possível após uma cooperação internacional.

Na fuga, os suspeitos passaram por diversos estados americanos. Eles fugiram no automóvel da vítima, carregando o corpo, em uma viagem de duas horas, até abandoná-lo na cidade californiana de Hot Springs.

Depois, viajaram ao estado de Oklahoma e, mais tarde, de ônibus, para o Texas. A fuga ainda contou com uma travessia terrestre para o México, de onde, a partir da capital, Cidade do México, tomaram um avião para o Rio de Janeiro.

“Durante todo esse tempo, a dupla pressionou e extorquiu tanto os próprios familiares quanto parentes da vítima com o intuito de obtenção de recursos que os ajudassem na fuga”, explica a Polícia Federal, em nota.

O crime chegou ao conhecimento da Polícia Federal, que passou a monitorar os acusados e manter contatos com as autoridades norte-americanas. Ao mesmo tempo, no encalço dos fugitivos, a polícia de Los Angeles investigava as circunstâncias do crime e da fuga, nos Estados Unidos.

“Os contatos entre as agências eram feitos mediante a participação ativa do Serviço de Segurança Diplomática do Consulado Americano no Rio de Janeiro e da Adidância da Polícia Federal, em Washington“, detalha a Polícia Federal.

Com a confirmação de que os alvos se encontravam em Cariacica, montou-se uma grande operação para capturá-los, que contou com a decisiva participação do Grupo Integrado de Operações de Segurança Pública do Espírito Santo (GIOSP).

“Com o empenho da Promotoria de Justiça, o Poder Judiciário decretou a prisão temporária dos fugitivos, que foram capturados, na manhã de hoje, por homens do 7º Batalhão da Polícia Militar do Espírito Santo e estão à disposição da Justiça”, conclui as autoridades brasileiras.

Últimas notícias