Pesquisa diz que 38,6% são contra a obrigatoriedade da vacina de Covid-19

Uma parcela de 26,9% também condicionou a aceitação da vacina à origem do país exportador do imunizante

atualizado 15/09/2020 9:50

vacinasKarl Tapales/Getty Images

Um levantamento realizado pelo Instituto Paraná Pesquisas em todo o país revelou que uma parcela de 38,6% da população é contra a obrigatoriedade da vacina contra a Covid-19, tão logo o imunizante esteja disponível. A entidade entrevistou 2.008 pessoas no território nacional entre os dias 10 e 12 de setembro. A margem de confiança da sondagem é de 95%.

O instituto perguntou se as pessoas eram contrárias ou favoráveis à obrigatoriedade da vacina. Desse total, 55,2% se disseram a favor, 38,6%, contra e 6,2% não souberam ou não quiseram opinar.

Os entrevistados também foram questionados se pretendem tomar a vacina. A maioria respondeu que sim (61,2%). Uma parcela de 26,9% condicionou a aceitação à origem do país exportador do imunizante. Outros 8,7% afirmaram que não tomarão e 3,2% não se manifestaram.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, em várias ocasiões, que “ninguém é obrigado a tomar a vacina“.

Diante da repercussão negativa da fala do presidente, a Secretaria de Comunicação do Governo Federal usou o perfil institucional nas redes sociais para endossar a posição do mandatário do país, sob o argumento de que preza pelas liberdades dos brasileiros.

Vacinas

Atualmente, três vacinas estão autorizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para serem testadas na população brasileira. São elas:

  • Sinovac (China);
  • Oxford/AstraZeneca (Reino Unido);
  • BioNTech/Fosun Pharma/Pfizer (Alemanha e EUA).

Além dessas, o governo do Paraná diz que está em contato com a Rússia para trazer a vacina ao Brasil.

Últimas notícias