Pastora é presa suspeita de matar o marido envenenado com chumbinho

Sueli Alves foi detida em Bela Vista de Goiás (GO). Ela teria simulado uma cena de suicídio do marido, José Maria Vieira de Oliveira, 49

atualizado 24/09/2022 13:24

pastora é presa suspeita de matar o marido envenenado em goiás Divulgação/Arquivo Pessoal

Goiânia – Uma pastora evangélica é suspeita de matar o próprio marido envenenado. Sueli Alves dos Santos Oliveira, de 42 anos, foi presa nessa sexta-feira (23/9), em Bela Vista de Goiás (GO), na região metropolitana de Goiânia.

A investigação encontrou indícios de que ela pode ter sido a responsável pela morte de José Maria Vieira de Oliveira, 49. Segundo a delegada que está à frente do caso, Magda D’Ávila, o crime teria acontecido após uma briga de casal que ocorreu na noite anterior.

A pastora teria, segundo a polícia, simulado uma cena de suicídio para se livrar da culpa do assassinato. Os policiais encontraram um vidro de chumbinho na residência onde estava o corpo de José Maria. A investigação acredita que esse tenha sido o veneno utilizado por Sueli.

Durante o período em que os agentes estiveram na casa, a delegada percebeu que Sueli ficou de olho o tempo todo no vidro de chumbinho. A perícia acabou detectando a presença do veneno em um copo que estava na pia da cozinha e até na caixa de gordura.

A pastora negou o crime e alegou, no interrogatório, que o marido se matou para colocar a culpa nela. Segundo a família de Sueli, ela havia comprado um plano funerário para José Maria em abril deste ano e se colocou como beneficiária. A investigação trabalha com a possibilidade de que isso possa ser um indício de premeditação.

Além disso, outras testemunhas ouvidas pela polícia, que são vizinhos do casal, disseram que a pastora e o marido estavam em processo de separação e que ela teria o agredido no rosto, durante a briga da noite anterior, com uma série de murros.

Fotos apagadas

José chegou a tirar fotos do rosto ferido com o celular para comprovar a agressão, mas, segundo a polícia, Sueli pegou o telefone do marido e apagou as imagens.

Já no celular dela, os agentes encontraram mensagens enviadas para a vítima, nas quais ela chegou a dizer que se ele morresse, ela ficaria com todos os bens e uma pensão de viúva.

 No registro da ocorrência, é descrito que o homem esteve na casa de um casal de vizinhos, após a briga, para dizer que estava com medo de ser morto pela esposa.

A pastora disse à delegada que saiu de casa às 18h e só voltou na manhã seguinte, quando se deparou com o marido morto. Os vizinhos, que já estavam em alerta sobre as brigas do casal, no entanto, disseram que ela saiu às 19h e voltou horas depois, às 21h.

Histórico

A pastora teria um histórico anterior de tentativa de assassinato. Conforme os filhos de José Maria, ela teria tentado matar o ex-marido, em Brasília (DF), e que por isso ela estaria proibida de manter contato com os filhos do primeiro casamento.

Na delegacia, a mulher apresentou documentos com sobrenomes diferentes, em decorrência de casamentos anteriores. A delegada divulgou a imagem de Sueli presa, visando a identificação de outras possíveis vítimas.

Mais lidas
Últimas notícias