Operação busca Márcia, mulher de Queiroz, na casa de parentes em BH

Ação é uma parceria do Ministério Público de Minas Gerais, Ministério Público do Rio de Janeiro e Batalhão de Choque da Polícia Militar (PM)

atualizado 23/06/2020 9:57

Reprodução/Redes sociais

Uma operação de busca na residência de parentes do ex-assessor de Flávio Bolsonaro Fabrício Queiroz, preso na manhã da última quinta-feira (18/06), foi deflagrada na manhã desta terça-feira (23/06) pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e o Batalhão de Choque da Polícia Militar (PM).

O objetivo é dos promotores é prender Márcia Oliveira de Aguiar, mulher de Queiroz, que é considerada foragida pela Justiça.

Em parceria com o Ministério Público do Rio de Janeiro, a operação ocorre em uma casa no bairro São Bernardo, na região norte de Belo Horizonte (MG).

Queiroz foi preso em Atibaia, no interior de São Paulo, em uma chácara pertencente ao então advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef.

No mesmo dia, foi decretada a prisão da mulher dele, Márcia Oliveira de Aguiar, que não se apresentou à polícia e não foi encontrada. Desde então, ela é considerada foragida.

Participação fundamental

As ordens de prisão preventiva de Queiroz e sua mulher foram expedidas pelo juiz Flávio Itabaiana de Oliveira Nicolau, da 27ª Vara Criminal da Capital. Com relação a Márcia, o magistrado considerou que ela teve “participação fundamental” nas manobras para embaraçar as investigações das “rachadinhas”, que apuram crimes de peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro

Segundo Nicolau, era “inequívoco” que Márcia, em liberdade poderia obstaculizar a apuração dos fatos, além de agir sob as ordens de Queiroz.

Em sua decisão, Nicolau escreveu que assim como o ex-assessor parlamentar do filho “01” do presidente Jair Bolsonaro, Márcia também estava se escondendo, recebendo auxílio de terceiro e ainda cogitava fugir caso tivesse ciência de que havia sido decretada sua prisão preventiva. (Com Agência Estado)

0

Últimas notícias