OAB-DF repudia abordagem policial a youtuber negro em Goiás

Filipe Ferreira gravava um vídeo para o canal dele quando foi abordado. A cena foi gravada e viralizou na internet

atualizado 29/05/2021 20:30

AbordagemReprodução

A Seccional do Distrito Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF) manifestou, por meio de nota, solidariedade ao atleta e youtuber Filipe Ferreira, abordado na última sexta-feira (28/5) por policiais militares enquanto fazia manobras de bicicleta em um parque na Cidade Ocidental (GO).

“Ao longo de décadas, os negros e negras passaram por todo e qualquer tipo de discriminação; rotineiramente os jovens das periferias são abordados sem qualquer motivação idônea, simplesmente por serem negros e negras”, destaca o texto da entidade.

A OAB-DF informa, no texto, que está em contato com advogados da cidade goiana onde ocorreu o episódio. “A indignação é verdadeira e fruto de um rompimento com a subserviência”, diz a nota.

O vídeo da abordagem policial na Cidade Ocidental (GO) chocou internautas, como mostrou o Metrópoles. Nas cenas, que viralizaram nas redes sociais, Ferreira aparece, inicialmente, testando movimentos com a bike. No fundo, é possível ver uma viatura da polícia se aproximando.

De repente, um dos policiais desce do carro, pronuncia gritos de ordem e pede para o jovem se afastar. Tão logo Ferreira questiona a abordagem, o agente saca uma arma. “Coloca a mão na cabeça”, diz o policial.

Durante todo o momento, capturado pela câmera de celular do youtuber, um dos policiais mantém a arma apontada. “Esse é o procedimento”, responde depois de ser questionado.

Veja a cena:

Em seguidam o rapaz tira a camisa para mostrar “que não tem nada”. Logo depois, é algemado. “Resiste aí para ver o que vai acontecer contigo.”

De acordo com o policial, o motivo da prisão foi o jovem não ter obedecido de prontidão a ordem que foi dada. No Instagram, Ferreira postou o momento da abordagem, mas não comentou nada sobre a ação.

Pelo Twitter, foram muitos os comentários criticando a ação. “O que acontece se você for negro e estiver treinando manobras no parque com sua bike? Não sabe? Veja o que aconteceu hoje na Cidade Ocidental”, escreveu um internauta em post com mais de 26 mil curtidas e 7 mil compartilhamentos. “Ser negro no Brasil é exatamente isso aqui. Viver todos os dias na mira do racismo e não saber se estará vivo no dia seguinte”, disse outro.

Até a publicação da reportagem, nem a Polícia Militar de Goiás nem Filipe Ferreira se manifestaram. O espaço segue aberto.

Últimas notícias