metropoles.com

Multidão faz fila para teste da Covid em Goiânia e espera passa de 5h

Com alta demanda por testes, após o fim de ano, locais de testagem gratuita ficaram lotados. Pessoas levaram até cadeiras para a fila

atualizado

Compartilhar notícia

Vinícius Schmidt/Metrópoles
testagem da covid-19 em goiânia, goiás
1 de 1 testagem da covid-19 em goiânia, goiás - Foto: Vinícius Schmidt/Metrópoles

Goiânia – Um dos reflexos imediatos das aglomerações de fim de ano é perceptível nas filas dos locais de testagem gratuita da Covid-19. Em Goiânia, nesta quinta-feira (6/1), uma multidão foi até o Parque Mutirama, na região central da cidade, para os testes. Pessoas levaram até cadeiras para a fila e a espera ultrapassou as 5h em muitos casos.

O movimento já era grande por volta das 7h, sendo que a testagem só estava marcada para começar às 8h. O servidor público da Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma), Denúbio Antônio Lima, de 27 anos, foi um dos que chegou antes e contou ao Metrópoles que já havia fila formada.

Ele só conseguiu realizar o teste e obter o resultado por volta das 13h, com exatas 6h de espera, entre a chegada e a saída. O teste dele deu negativo. Denúbio atendeu uma recomendação dos chefes e foi fazer o teste rápido, depois que vários casos da doença foram confirmados na Amma.

7 imagens
Pessoas levaram até cadeiras para se sentar na fila
Espera na fila em Goiânia  para testagem da Covid
Denúbio Antônio Lima, servidor público de 27 anos, esperou mais de 5h para se testar na capital goiana
Servidora da saúde aplica teste da Covid-19 em Goiânia
Ocupação de leitos de UTI e enfermaria da Covid aumentou em Goiânia e Goiás
1 de 7

Multidão de pessoas foi até o estacionamento do Parque Mutirama, em Goiânia (GO), para fazer o teste rápido na quinta-feira (6/1)

Vinícius Schmidt/Metrópoles
2 de 7

Pessoas levaram até cadeiras para se sentar na fila

Vinícius Schmidt/Metrópoles
3 de 7

Espera na fila em Goiânia para testagem da Covid

Vinícius Schmidt/Metrópoles
4 de 7

Denúbio Antônio Lima, servidor público de 27 anos, esperou mais de 5h para se testar na capital goiana

Vinícius Schmidt/Metrópoles
5 de 7

Servidora da saúde aplica teste da Covid-19 em Goiânia

Vinícius Schmidt/Metrópoles
6 de 7

Ocupação de leitos de UTI e enfermaria da Covid aumentou em Goiânia e Goiás

Vinícius Schmidt/Metrópoles
7 de 7

Teste de Covid em Goiás

Vinícius Schmidt/Metrópoles

A Agência foi fechada nesta quinta e sexta-feira (7/1), em razão do um surto de Covid. A situação preocupa a Prefeitura de Goiânia, cujo próprio prefeito, Rogério Cruz (Republicanos), testou positivo para a doença pela segunda vez.

Aumento na demanda por testes

A diretora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Grécia Carolina Pessoni, conta que houve um aumento sensível na demanda por testes, após as festas e confraternizações de fim de ano.

Antes desse período, segundo ela, a média diária oscilava em torno de 700 pessoas que buscavam os pontos de testagem rápida montados pela prefeitura. Hoje, o número mais que dobrou, oscilando entre 1,5 mil e 1,8 mil pessoas.

A expectativa dela é que nesta quinta-feira sejam realizados cerca de 3 mil testes, na capital. Um balanço será feito no final do dia, com a divulgação do índice de pessoas que testaram positivo.

Primeiro caso de Flurona

Com a circulação não só do vírus da Covid, mas também da gripe (influenza H3N2), a situação preocupa os órgãos de controle e saúde. Nesta quinta, foi confirmado o primeiro caso de coinfecção pelas duas doenças, em Goiás.

Uma mulher de cerca de 60 anos e que é profissional da saúde foi diagnosticada com a chamada Flurona, quando a pessoa está com o vírus da Covid e da gripe ao mesmo tempo. Ela fez o exame em laboratório particular, após apresentar sintomas.

Segundo a SMS, a senhora está com sintomas leves e sendo monitorada. Ela foi encaminhada ao Laboratório Central de Saúde para que fosse feita uma nova coleta da amostra de sangue, a fim de se fazer o sequenciamento genético do vírus e descobrir de qual variante se trata. Casos da Ômicron já foram confirmados na cidade.

Morte por Ômicron

Nesta quinta, Aparecida de Goiânia confirmou a morte da primeira vítima pela Ômicron no Brasil. Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde, a vítima da doença foi um homem de 68 anos, portador de doença pulmonar obstrutiva crônica e hipertensão arterial.

Ele estava internado em unidade hospitalar. O paciente era contactante de um caso que a pasta já havia confirmado como infecção pela variante. O homem estava vacinado com três doses.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?