Ministério da Justiça abrirá processo contra a Cervejaria Backer

Companhia não prestou contas sobre a contaminação das suas cervejas por dietilenoglicol e pode pagar multa de R$ 9,9 milhões

atualizado 22/01/2020 21:02

cervejaria backaerDivulgação

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) do Ministério da Justiça vai instaurar um processo administrativo contra a cervejaria Backer, por ausência de prestação de contas sobre a contaminação dos produtos com dietilenoglicol. Pela irregularidade, eles podem ter que pagar R$ 9,9 milhões.

No dia 10 de janeiro, a Senacon determinou que os esclarecimentos fossem prestados em até dois dias úteis, e que eles fizessem um recall das cervejas comprometidas, listando ainda que providências foram tomadas para proteger os consumidores. As informações não foram entregues.

Nessa terça-feira (21/01/2020), em nova atualização, a Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais informou que subiram para 22 os casos de intoxicação exógena por dietilenoglicol.

A Backer anunciou nesta quarta-feira (22/01/2020) o recall de 82 lotes de cerveja, incluindo as marcas Capitão Senra, Pele Vermelha, Fargo 46, Backer Pilsen, Backer Brown, Backer D2, Capixaba e Belorizontina.

Contaminação
Até agora, já foram registrados 22 casos suspeitos de intoxicação exógena por dietilenoglicol. Destes, quatro foram confirmados e os outros 18 ainda seguem sob investigação. A principal hipóteses é de que todos os pacientes tenham sido expostos à substância ao beber produtos da marca.

Até agora, a Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SESMG) registrou quatro óbitos com relação ao caso, sendo que em um deles a contaminação foi constatada em exames de sangue.

Últimas notícias