Caso Backer: número de casos de intoxicação sobe para 22

Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais atualizou suspeitas de contaminação por dietilenoglicol

atualizado 21/01/2020 18:36

Reprodução/Instagram

Em nova atualização, a Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais informou, nesta terça-feira (21/02/2020), que subiram para 22 os casos de intoxicação exógena por dietilenoglicol. A suspeita é de que os pacientes tenham sido contaminados após ingerirem produtos da marca Backer, depois que exames confirmaram a presença da substância na água e nos tanques de produção da cervejaria.

O número de óbitos permanece o mesmo: quatro, sendo que em um deles a presença da substância tóxica já foi confirmada por exames de sangue. No total, além dos quatro casos confirmados, há 18 sob investigação, com quadro de “sinais e sintomas compatíveis com o quadro de intoxicação por dietilenoglicol”.

Um dos pacientes ainda sob suspeita, um homem que mora em Capelinha (MG), recebeu alta no último domingo (19/01/2020) e, segundo a secretaria, segue em acompanhamento. Ele foi internado com turvação visual, tremor leve de extremidades, abalos musculares e redução da diurese, com relato de quadro de vômitos e diarreia prévios.

Por causa de exames do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) interditou todas as cervejas da Cervejaria Backer com data de validade igual ou posterior a agosto de 2020.

Últimas notícias