Menina de 10 anos estuprada pelo tio quer “recuperar a vida”, diz médico

A criança era vítima de abusos há 4 anos e foi transferida para Pernambuco para interromper a gravidez, após decisão judicial

atualizado 17/08/2020 17:20

médico Olímpio Barbosa de Moraes Filho, responsável pelo aborto da menina de 10 anos em RecifeReprodução/ Globo News

Diretor do hospital em Recife onde a menina de 10 anos estuprada pelo tio realizou o aborto após engravidar, o médico Olímpio Barbosa de Moraes Filho afirmou, em entrevista à Globo News, que a vítima está “aliviada” após o procedimento.

“O sofrimento nesses últimos dias foi terrível, as ameaças que ela sofreu. Eu espero que esse sofrimento daqui pra frente seja atenuado, e vai depender muito de como o caso vai ser conduzido, respeitando o sigilo, para que ela possa recuperar a vida”, disse.

Barbosa criticou a atitude da extremista Sara Winter ao divulgar o nome da menina e do hospital onde o aborto seria feito. “Neste caso houve uma [segunda] violência, que foi a quebra de sigilo da identidade da criança. Temos que protegê-la. Ela tem um futuro de vida pela frente, não pode ser exposta”, argumentou o médico.

Para o diretor do hospital, manter a gravidez da jovem contra a vontade seria um “ato de tortura”. “Colocaria em risco a vida da paciente ou, no mínimo, a saúde mental dela”, afirmou.

“Infelizmente, o estupro é muito comum no Brasil e, mais triste ainda, com crianças. Lamento que muitas pessoas não tenham acesso à informação. Tem crianças sendo violentadas, engravidando e levando a gravidez até o fim. É sabido também que a principal causa de suicídio entre adolescentes é uma gravidez indesejada”, finalizou Barbosa.

Últimas notícias