“O papa é argentino, mas Deus é brasileiro”, dispara Bolsonaro

Presidente disse que a preocupação demonstrada por Francisco com os incêndios na Amazônia não foi a mesma da Austrália

atualizado 13/02/2020 18:00

Rafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), insinuou que a Igreja Católica não demonstrou com a Austrália – castigadas por incêndios florestais que mataram 23 pessoas e mais de meio bilhão de animais – a mesma preocupação que teve com o Brasil.

“Cadê o Sínodo da Austrália? O papa Francisco falou, ontem, que a Amazônia é dele, do mundo, de todo mundo. Por coincidência, eu estava com o embaixador [ministro Felipe Solá] da Argentina. Eu falei: olha, o papa é argentino, mas Deus é Brasileiro”, comentou Bolsonaro, na saída do Palácio da Alvorada, nesta quinta-feira (13/02/2020), em referência às manifestações de preocupação do pontífice com a floresta tropical e a realização do Sínodo da Amazônia, que reuniu bispos, padres e autoridades religiosas em torno do debate de preservação da região.

Nessa terça-feira, Bolsonaro assinou um decreto que transfere para o vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB), o comando do Conselho Nacional da Amazônia Legal. O chefe do Executivo também anunciou que estuda a criação do Ministério Extraordinário da Amazônia, mas ainda não definiu as atribuições da nova pasta, caso opte por criá-la.

“É uma ideia do [deputado] Átila Lins (Progressistas-AM). Teria uma reação grande porque é mais um ministério. Vou estudar, não posso aceitar aqui agora. Isso envolve despesa, o impacto negativo de ter mais um ministério”, alegou.

Bolsonaro também rebateu as críticas por não incluir os governadores dos estados da Amazônia na composição do conselho. “Se quiser que eu bote governadores, secretários, vou ter 200 caras lá. Sabe o que vai resolver? Nada. Se botar muita gente, é passagem aérea, hospedagem, uma despesa enorme e não resolve nada. Agora, ‘tá’ lá com o general Mourão, que já serviu na região, é vice-presidente e vai ter custo zero. Vai usar toda a estrutura dele para se antecipar a problemas e ajudar no desenvolvimento”, garantiu.

Últimas notícias