MapBiomas: governo ignorou 97% dos alertas de desmatamento desde 2019

Nova plataforma Monitor da Fiscalização do Desmatamento é projeto de monitoramento formado por universidades, ONGs e empresas de tecnologia

atualizado 03/05/2022 22:35

Reprodução/Flickr do Ibama

Desde o início do governo Jair Bolsonaro (PL), 97,2% dos alertas de desmatamentos emitidos pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) não foram fiscalizados pelos órgãos responsáveis. Os dados foram divulgados, nesta terça-feira (3/5) pelo Monitor da Fiscalização do Desmatamento do MapBiomas, projeto de monitoramento formado por universidades, ONGs e empresas de tecnologia.

A nova plataforma do MapBiomas analisou todos os alertas emitidos entre janeiro de 2019 e março de 2022.

O levantamento realizado pela ferramenta mostra que 29% dos alertas, em Mato Grosso, sofreram fiscalização ou tinham permissão para desflorestação. No Pará, apenas 1,8% dos alertas estão em áreas com a existência de vistoria ou autorização para supressão de vegetação.

No bioma amazônico, houve 149.631 alertas de desmatamento. Desses, apenas 168 tinham autorização para acontecer. O Monitor da Fiscalização do Desmatamento mostra ainda que, somente 1.384 tiveram auto de infração.

No cerrado, 23.537 alertas possuíam indícios de ilegalidades e não tiveram ações das autoridades governamentais de fiscalização desde 2019.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias