PM que matou jovem por causa de R$ 5 é condenado a 13 anos de prisão

O agente de segurança foi considerado culpado pelo homicídio do estudante Iago Gomes, de 23 anos

atualizado 30/10/2021 17:39

Arquivo pessoal

A Justiça de São Paulo condenou o policial militar Guilherme Cardoso Garcia a 13 anos e seis meses de prisão em regime fechado. O agente de segurança é apontado como autor do homicídio que vitimou o estudante Iago Gomes (foto em destaque), de 23 anos.

O crime ocorreu em janeiro deste ano. O motivo teria sido o não pagamento de R$ 5 para entrar em uma tabacaria da zona leste da capital paulista. Levando isso em conta, a 4ª Vara do Júri do Fórum Criminal da Barra Funda entendeu que houve motivo torpe (específico) para o assassinato, o que aumenta a rigidez da pena e classifica o delito como homicídio qualificado.

Na decisão, o juiz Leonardo Valente Barreiros destaca que a vítima não tinha antecedentes criminais e nem mesmo apresentava risco à sociedade.

“A vítima, de passado incólume, foi morta por disparos de arma de fogo pertencente à Polícia Militar do Estado de São Paulo, com munição custeada pelo erário público, através de impostos arduamente recolhidos pela população paulista. Vale dizer que a vítima foi morta por instrumento do Estado que deveria servir para protegê-la, e não vulnerá-la, como infelizmente aconteceu”, defendeu o magistrado.

O PM está impedido de recorrer em liberdade. Na avaliação do Judiciário, o agente público feriu a “credibilidade de importante instituição de segurança pública” ao cometer o crime contra o jovem. A sentença foi expedida na última segunda-feira (25/10), mas só foi divulgada neste final de semana.

Atualmente, o policial está detido em prisão preventiva por tempo indeterminado. A sentença foi comemorada por familiares da vítima.

Mais lidas
Últimas notícias