metropoles.com

Moraes manda soltar mais 130 presos por atos terroristas de 8/1

No dia seguinte aos atos terroristas de 8/1, a PF prendeu em flagrante 2.151 pessoas. Dessas, 392 continuam presas: 310 homens e 82 mulheres

atualizado

Compartilhar notícia

Hugo Barreto/Metrópoles
Tropa de Choque da PMDF durante retirada de manifestantes bolsonaristas do Congresso Nacional após invasão. Confusão generalizada toma conta do prédio após agentes e manifestantes entrarem em confronto em meio à gás - Metrópoles
1 de 1 Tropa de Choque da PMDF durante retirada de manifestantes bolsonaristas do Congresso Nacional após invasão. Confusão generalizada toma conta do prédio após agentes e manifestantes entrarem em confronto em meio à gás - Metrópoles - Foto: Hugo Barreto/Metrópoles

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu, nesta segunda-feira (13/3), liberdade provisória a mais 130 homens denunciados pelos atos terroristas e antidemocráticos de 8 de janeiro, quando manifestantes bolsonaristas invadiram e depredaram as sedes dos Três Poderes, em Brasília, com o objetivo de promover um golpe de Estado.

Em 9 de janeiro, a Polícia Federal (PF) prendeu em flagrante 2.151 pessoas que haviam participado dos atos e estavam acampadas diante dos quartéis em Brasília. Dessas, 392 pessoas permanecem detidas – sendo 310 homens e 82 mulheres.

Na última quarta-feira (8/3), o Supremo concluiu a apreciação dos processos de mulheres acusadas de envolvimento no episódio criminoso, e concedeu liberdade a 149 presas.

Com parecer favorável da Procuradoria-Geral da República (PGR), foram aplicadas medidas cautelares a acusados por crimes como incitação ao crime e associação criminosa. O ministro considerou que eles já foram denunciados e não representam mais risco processual ou à sociedade neste momento, podendo responder ao processo em liberdade.

Balanço

Em 9 de janeiro, a Polícia Federal (PF) prendeu em flagrante 2.151 pessoas que haviam participado dos atos e estavam acampadas em frente aos quartéis. Dessas, 745 foram liberadas imediatamente após a identificação, entre elas havia indivíduos maiores de 70 anos, aqueles com idade entre 60 e 70 anos com comorbidades e cerca de 50 mulheres que estavam com filhos menores de 12 anos.

10 imagens
Manifestantes bolsonarista enfrentam a polícia, invadem e destroem o Congresso Nacional
Manifestantes bolsonarista enfrentam a polícia, invadem e destroem o Congresso Nacional
Manifestantes bolsonarista enfrentam a polícia, invadem e destroem o Congresso Nacional
Manifestantes bolsonarista enfrentam a polícia, invadem e destroem o Congresso Nacional
Manifestantes bolsonaristas em ato golpista de 8 de janeiro
1 de 10

Igo Estrela/Metrópoles
2 de 10

Manifestantes bolsonarista enfrentam a polícia, invadem e destroem o Congresso Nacional

Igo Estrela/Metrópoles
3 de 10

Manifestantes bolsonarista enfrentam a polícia, invadem e destroem o Congresso Nacional

Igo Estrela/Metrópoles
4 de 10

Manifestantes bolsonarista enfrentam a polícia, invadem e destroem o Congresso Nacional

Igo Estrela/Metrópoles
5 de 10

Manifestantes bolsonarista enfrentam a polícia, invadem e destroem o Congresso Nacional

Igo Estrela/Metrópoles
6 de 10

Manifestantes bolsonaristas em ato golpista de 8 de janeiro

Igo Estrela/Metrópoles
7 de 10

Golpistas invadem cúpula do Congresso no 8 de Janeiro

Igo Estrela/Metrópoles
8 de 10

Igo Estrela/Metrópoles
9 de 10

Igo Estrela/Metrópoles
10 de 10

Igo Estrela/Metrópoles

Dos 1.406 que seguiram presos, permanecem na prisão 310 homens e 82 mulheres, totalizando 392 pessoas.

Até o momento, a PGR denunciou 919 pessoas por incitação pública ao crime e associação criminosa. Dessas, 219 responderão também por crimes mais graves – dano qualificado, abolição violenta do Estado de direito e golpe de Estado.

O ministro destacou que a PGR deixou de oferecer acordo de não persecução penal, por entender que a tentativa de abolição violenta do estado democrático de direito é incompatível com a medida de despenalização. Todos foram notificados para apresentar defesa prévia.

Medidas cautelares

Todos os denunciados em liberdade provisória precisam cumprir uma série de medidas judiciais. São elas:

  • Proibição de se ausentar da Comarca e recolhimento domiciliar no período noturno e nos finais de semana mediante tornozeleira eletrônica;
  • Obrigação de se apresentar perante o Juízo da Execução da Comarca de origem, no prazo de 24 horas e comparecimento semanal, todas as segundas-feiras;
  • Proibição de se ausentar do país, com obrigação de realizar a entrega de seus passaportes no prazo de 5 dias;
  • Cancelamento de todos os passaportes emitidos pela República Federativa do Brasil;
  • Suspensão imediata de quaisquer documentos de porte de arma de fogo em nome da investigada, bem como certificados CAC;
  • Proibição de utilização de redes sociais;
  • Proibição de se comunicar com os demais envolvidos, por qualquer meio.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?