Moraes determina quebra do sigilo bancário de empresários investigados

Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, e Edgar Gomes Corna, da academia Smart Fit, terão as contas abertas a partir de julho de 2018

atualizado 27/05/2020 14:38

Luciano HangIgo Estrela/Metrópoles

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a quebra do sigilo bancário e fiscal de quatro pessoas no período de julho de 2018 a abril de 2020, entre elas Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan (foto em destaque), e Edgar Gomes Corna, da academia Smart Fit. Eles são investigados no inquérito que apura produção de disseminação de fake news e ameaças aos integrantes da Corte.

Moraes justificou a quebra de sigilo afirmando  que os direitos e garantias individuais não são “absolutos e ilimitados”. O ministro ressaltou que “a estrutura, aparentemente, estaria sendo financiada por empresários”.

Segundo Moraes, essas pessoas são “possíveis responsáveis pelo financiamento de inúmeras publicações e vídeos com conteúdo difamante e ofensivo ao Supremo Tribunal Federal; bem como mensagens defendendo a subversão da ordem e incentivando a quebra da normalidade institucional e democrática”.

Nesta quarta-feira (27/05), a Polícia Federal cumpriu 29 mandados de busca e apreensão de computadores, tablets, celulares e outros dispositivos eletrônicos de 17 pessoas, tanto de suspeitos de espalharem desinformação como de serem seus financiadores.

Últimas notícias