Moraes dá até 28/1 para Bolsonaro depor sobre vazamento de dados

Presidente divulgou a íntegra de um inquérito sigiloso da Polícia Federal para atacar a segurança das urnas eletrônicas

atualizado 18/01/2022 18:31

Alexandre de Moraes_STFTSE

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu prazo até 28 de janeiro para o presidente Jair Bolsonaro (PL) prestar depoimento na investigação sobre o vazamento de inquérito do ataque hacker ao sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A informação foi antecipada pelo Painel, da Folha de S. Paulo, e confirmada pelo Metrópoles.

A investigação sobre o vazamento dos dados foi solicitada pelo TSE a Moraes após Bolsonaro divulgar, em 4 de agosto de 2021, a íntegra de um inquérito sigiloso da Polícia Federal para atacar a segurança das urnas eletrônicas.

A PF intimou Bolsonaro a depor no ano passado. Em 29 de novembro, Moraes deu prazo de 15 dias para que a oitiva fosse realizada. No entanto, quando o tempo estava acabando, a Advocacia-Geral da União (AGU) pediu prorrogação, e o ministro concedeu mais 60 dias de prazo, que se encerra no próximo dia 28 de janeiro.

Este caso faz parte do Inquérito das Fake News, o qual Moraes prorrogou as investigações por mais 90 dias no início de janeiro.

O depoimento de Bolsonaro ocorre num momento em que o chefe do Executivo federal voltou a subir o tom contra ministros do STF, como o atual presidente da Corte Eleitoral, Luis Roberto Barroso, e o futuro presidente do órgão, Alexandre de Moraes.

Mais lidas
Últimas notícias