Justiça aceita denúncia e Paulinho da Força vira réu por corrupção

Ministério Público acusou deputado de falsidade eleitoral e Caixa 2 de campanha entre 2010 e 2013

atualizado 29/10/2020 22:18

Divulgação

O juiz Marco Antônio Martin Vargas, da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, aceitou uma denúncia contra o deputado federal Paulinho da Força, presidente do partido Solidariedade, e ele se tornou réu por corrupção e lavagem de dinheiro.

Na decisão, o magistrado ainda manteve o bloqueio de contas bancárias e bens do parlamentar.

O deputado federal foi indiciado pela Polícia Federal no caso em 2 de outubro, após a conclusão do inquérito da Operação Dark Side, que faz parte da primeira fase da Operação Lava Jato que investiga crimes eleitorais em São Paulo, e denunciado pelo MP 11 dias depois.

Segundo o MP, em 2010, durante a campanha para a Câmara dos Deputados, o parlamentar recebeu R$ 200 mil indevidamente, que ficaram em caixa 2 de campanha e não foram contabilizados na prestação de contas à Justiça Eleitoral.

Quando concorreu à Prefeitura de São Paulo, o candidato teria recebido R$ 1,5 milhão, que também não foram declarados.

Últimas notícias