Caso Daniel: Justiça adia depoimentos de acusados para setembro

A mudança de data ocorreu após pedido de Cláudio Dalledone Junior, advogado da família Brittes, para que nova testemunha fosse ouvida

atualizado 13/08/2019 16:18

A Justiça adiou a fase final da audiência de instrução dos envolvidos na execução do ex-jogador Daniel Corrêa, em outubro do ano passado, morto durante uma festa na casa da família Brittes. Após cinco horas do início dos depoimentos dos acusados, na manhã desta terça-feira (13/08/2019), a juíza Luciani Regina Martins de Paula suspendeu a oitiva e remarcou para os dias 4, 5 e 6 de setembro.

O advogado Rodrigo Faucz, que defende David Vollero e Ygor King — réus no processo —, comunicou a suspensão. “Foi decidido que não vai ser desmembrado, mas adiado”, pontuou. “É um direito deles ouvir todas as testemunhas”, declarou.

A mudança de data aconteceu após pedido de Cláudio Dalledone Junior, advogado da família Brittes, para que uma nova testemunha fosse ouvida: o jornalista da Rede Massa, afiliada do SBT no Paraná, João Gimenes. Ele teria ido até a loja de assistência de celulares na qual Cristiana Brittes deixou o aparelho telefônico para conserto depois do crime.

A defesa dos Brittes quer apurar quem foi o responsável por vazar fotos da esposa de Edison que estariam no equipamento de Cristiana. As imagens foram divulgadas em programa de televisão.

Além da nova testemunha, Dalledone anunciou, ao chegar ao Fórum, solicitação para que os clientes Edison, Cristiana e Allana fossem os últimos a serem ouvidos. Edison, conhecido como Juninho Riqueza, é réu confesso e alega ter agredido o jogador apos pegá-lo na cama com Cristiana, esposa do acusado.

Últimas notícias