*
 

Após perder a eleição para presidente do Corinthians, no último sábado (3/2), Paulo Garcia entrou com um processo alegando fraude no resultado do pleito que declarou o deputado federal Andrés Sanchez novo presidente do clube. O empresário entrou com processo contra a Telemeeting Brasil, empresa responsável pelo processo de votação. A representação criminal foi feita no Juizado Especial Criminal (Jecrim), da Barra Funda. A informação é da revista Veja.

De acordo com a reportagem, a desconfiança da oposição corintiana veio após uma urna travar durante a eleição, precisando de reinicialização. A suspeita é de que os votos antes do problema técnico tenham sumido. Durante a eleição, Paulo Garcia e outro candidato, Antonio Roque Citadini, fizeram uma auditoria nas urnas com empresas de tecnologia independentes e ambas constataram problemas no pleito.

Os outros três candidatos derrotados também podem entrar na disputa judicial, casos de Citadini, Felipe Ezabella e Romeu Tuma Júnior. Segundo o texto, antes da eleição, também ocorreram diversas disputas judiciais. Citadini e Garcia chegaram a ter a candidatura impugnadas, mas reverteram a decisão.

Segundo dados do Corinthians, foram 3.642 votos de associados. Sanchezvenceu com 1.235 votos (33,9%), enquanto Garcia ficou em segundo, com 834 (22,9%). Citadini recebeu 803 votos (22%), Felipe Ezabella, 461 votos (12,6%) e Tuma somou 278 votos (7,6%). Foram ainda 18 votos em 13 brancos.

 

 

COMENTE

JustiçaCorinthianseleiçõesandrés sanchez
comunicar erro à redação

Leia mais: Justiça