Akuanduba: veja os agentes públicos afastados do Ibama e do MMA

Salles e presidente do Ibama são alvo de operação da PF que apura esquema ilegal de exportação de madeira

atualizado 19/05/2021 11:48

IbamaDivulgação

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes autorizou o afastamento de nove agentes públicos do Ministério do Meio Ambiente e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) no âmbito da operação da Polícia Federal (PF) que apura exportação ilegal de madeira.

Entre os servidores afastados estão o presidente do Ibama, Eduardo Fortunato Bim, e Leopoldo Penteado Butkiewicz, que é assessor especial do gabinete do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Veja, a seguir, lista com os nomes dos nove agentes afastados, de acordo com documento do STF:

  • Eduardo Fortunato Bim, presidente do Ibama
  • Leopoldo Penteado Butkiewicz, Assessor Especial do gabinete do Ministro do Meio Ambiente (MMA)
  • André Heleno Azevedo Silveira, Coordenador de Inteligência de Fiscalização (Coinf/Ibama)
  • Artur Vallinoto Bastos, Analista Ambiental (Nufis/Ibama/PA)
  • Olímpio Ferreira Magalhães, diretor de Proteção Ambiental (Dipro/Ibama)
  • Leslie Nelson Jardim Tavares, Coordenador de Operações de Fiscalização (Cofis/Ibama)
  • João Pessoa Riograndense Moreira Junior, diretor de Uso Sustentável da Biodiversidade e Florestas (DBFlo/Ibama)
  • Wagner Tadeu Matiota, superintendente de Apuração de Infrações Ambientais (Siam/Gab/Ibama)
  • Rafael Freire De Macedo, coordenador-geral de Monitoramento do Uso da Biodiversidade e Comércio Exterior (CGMoc/Ibama)
Operação

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (19/5), a Operação Akuanduba, que investiga crimes contra a administração pública, como corrupção, advocacia administrativa, prevaricação e, especialmente, facilitação de contrabando, praticados por agentes públicos e empresários do ramo madeireiro.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Eduardo Fortunato Bim, estão entre os alvos da operação.

Pelo menos 160 policiais federais cumprem 35 mandados de busca e apreensão no DF e nos estados de São Paulo e do Pará. Entre os endereços, estão a sede do Ibama, o Ministério do Meio Ambiente e o apartamento de Salles, em São Paulo. As medidas foram determinadas pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Além das buscas, o STF determinou o afastamento preventivo de 10 agentes públicos ocupantes de cargos e funções de confiança no Ministério do Meio Ambiente e no Ibama, entre eles, o presidente do órgão.

E ainda a suspensão imediata da aplicação do despacho emitido em fevereiro de 2020 pelo Ibama, que, contrariando normativos e pareceres técnicos do órgão, permitiu a exportação de produtos florestais sem a necessidade da emissão de autorizações para exportação.

Leia a íntegra da decisão do ministro Alexandre de Moraes:

Decisão do STF sobre Ministério do Meio Ambiente e Ibama by Metropoles on Scribd

Mais lidas
Últimas notícias