metropoles.com

Akuanduba: veja os agentes públicos afastados do Ibama e do MMA

Salles e presidente do Ibama são alvo de operação da PF que apura esquema ilegal de exportação de madeira

atualizado

Compartilhar notícia

Divulgação
Ibama
1 de 1 Ibama - Foto: Divulgação

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes autorizou o afastamento de nove agentes públicos do Ministério do Meio Ambiente e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) no âmbito da operação da Polícia Federal (PF) que apura exportação ilegal de madeira.

Entre os servidores afastados estão o presidente do Ibama, Eduardo Fortunato Bim, e Leopoldo Penteado Butkiewicz, que é assessor especial do gabinete do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Veja, a seguir, lista com os nomes dos nove agentes afastados, de acordo com documento do STF:

  • Eduardo Fortunato Bim, presidente do Ibama
  • Leopoldo Penteado Butkiewicz, Assessor Especial do gabinete do Ministro do Meio Ambiente (MMA)
  • André Heleno Azevedo Silveira, Coordenador de Inteligência de Fiscalização (Coinf/Ibama)
  • Artur Vallinoto Bastos, Analista Ambiental (Nufis/Ibama/PA)
  • Olímpio Ferreira Magalhães, diretor de Proteção Ambiental (Dipro/Ibama)
  • Leslie Nelson Jardim Tavares, Coordenador de Operações de Fiscalização (Cofis/Ibama)
  • João Pessoa Riograndense Moreira Junior, diretor de Uso Sustentável da Biodiversidade e Florestas (DBFlo/Ibama)
  • Wagner Tadeu Matiota, superintendente de Apuração de Infrações Ambientais (Siam/Gab/Ibama)
  • Rafael Freire De Macedo, coordenador-geral de Monitoramento do Uso da Biodiversidade e Comércio Exterior (CGMoc/Ibama)
Operação

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (19/5), a Operação Akuanduba, que investiga crimes contra a administração pública, como corrupção, advocacia administrativa, prevaricação e, especialmente, facilitação de contrabando, praticados por agentes públicos e empresários do ramo madeireiro.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Eduardo Fortunato Bim, estão entre os alvos da operação.

Pelo menos 160 policiais federais cumprem 35 mandados de busca e apreensão no DF e nos estados de São Paulo e do Pará. Entre os endereços, estão a sede do Ibama, o Ministério do Meio Ambiente e o apartamento de Salles, em São Paulo. As medidas foram determinadas pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Além das buscas, o STF determinou o afastamento preventivo de 10 agentes públicos ocupantes de cargos e funções de confiança no Ministério do Meio Ambiente e no Ibama, entre eles, o presidente do órgão.

E ainda a suspensão imediata da aplicação do despacho emitido em fevereiro de 2020 pelo Ibama, que, contrariando normativos e pareceres técnicos do órgão, permitiu a exportação de produtos florestais sem a necessidade da emissão de autorizações para exportação.

Leia a íntegra da decisão do ministro Alexandre de Moraes:

Decisão do STF sobre Ministério do Meio Ambiente e Ibama by Metropoles on Scribd

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações