Justiça concede prisão domiciliar para Rei Arthur, foragido nos EUA

Decisão determina que empresário acusado de fraude em licitações e pagamentos de propina ao governo do Rio deve voltar ao país em 15 dias

atualizado 18/11/2021 13:24

O empresário Arthur Soares, o Rei ArthurReprodução

Rio de Janeiro –  O  Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) decretou a prisão domiciliar do empresário Arthur Cesar Soares Filho, o Rei Arthur. Ele está foragido há quatro anos nos Estados Unidos, quando teve a prisão preventiva decretada pela Justiça Federal. É acusado de fraudes em licitação e pagamentos de propina para o governo do estado do Rio.

Os desembargadores decidiram ainda que Rei Arthur deve voltar ao Brasil no prazo máximo de 15 dias e será obrigado a usar tornozeleira eletrônica, caso contrário será restabelecida a prisão e ele será novamente considerado foragido. O julgamento na Corte aconteceu na quarta-feira (17/11).

Em 2017, o Ministério Público Federal denunciou  o empresário, o ex-governador do Rio Sérgio Cabral e o ex-presidente do Comitê Olímpico Brasileiro Carlos Arthur Nuzman. Eles são acusados de um suposto esquema de compra de votos para a escolha do Rio de Janeiro como sede olímpica em 2016. Rei Arthur acabou tendo nova prisão preventiva decretada.

Ele chegou a ser preso em Miami, nos Estados Unidos, em 2019, por não ter os documentos necessários que comprovassem sua permanência no país. Mas conseguiu regularizar sua situação e ganhou a liberdade em 24 horas. Procuradores pediram sua extradição, que jamais foi concluída.

O pedido de prisão domiciliar de Rei Arthur foi realizado por sua defesa.

Mais lidas
Últimas notícias