Janaina Paschoal diz ser perseguida por colega da Alesp: “Mexeu com o cão”

Deputada estadual usou espaço na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo para reclamar de perseguição, mas não quis revelar nome

atualizado 23/11/2020 18:49

Janaina PaschoalReprodução/ YouTube

São Paulo – A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) usou seu espaço de discurso nesta segunda-feira (23/11) para declarar que está sendo perseguida e intimidada por um colega da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp). A deputada disse que os constrangimentos ocorrem em meio às articulações para a próxima eleição de direção da Alesp.

“Eu percebi de um tempo para cá, uma coincidência muito estranha. Toda vez que eu recebia um colega no gabinete, pessoas ficavam sabendo e apareciam de surpresa na reunião. Foram quatro situações. Eu não vou admitir [intimidação]. Antes de me destruir, eu vou arrebentar. Eu já avisei a pessoa diretamente. Eu não vou falar o nome da pessoa. Eu sou muito respeitosa, eu sou muito justa, mas não mexe comigo, não invade meu espaço, porque eu também sei ser o cão”, declarou Paschoal.

A parlamentar disse que em seu tempo de trabalho na casa, embora seja conhecida por ter ideias firmes à direita, nunca “constrangeu ou atacou ninguém” quando tentou concorrer à Presidência da casa legislativa e agora espera que o mesmo ocorra com ela, que não vai se candidatar desta vez. “Eu não vou admitir ser constrangida no meu ambiente de trabalho.”

Ainda segundo a deputada, a pessoa está sugando dinheiro de cargos e verbas para se perpetuar no poder. “Sequer tinha condição de ter um mandato, se elegeu com o voto dos outros, se elegeu com os meus votos”, disse Paschoal, revelando que o parlamentar pode ter sido eleito por quociente eleitoral pelo PSL.

O Metrópoles procurou a assessoria da deputada, mas ela não quis se pronunciar. A deputada ainda não entrou com nenhuma reclamação formal à Mesa Diretora da Alesp.

 

Últimas notícias