Invasão de garimpeiros em terra Yanomami causou a morte de 2 crianças

As vítimas morreram depois de se perderem durante a fuga do primeiro ataque. Crianças tinham 1 ano e 5 anos

atualizado 18/05/2021 11:18

Terra YanomamiReprodução/Redes sociais

Duas crianças morreram afogadas na terra indígena Yanomami, na aldeia Palimiu, na região do Uraricoera (RO). O incidente ocorreu após a invasão de garimpeiros no local.

Desde 10 de maio, ataques armados de garimpeiros contra indígenas têm ocorrido de forma sistemática contra  no interior da terra indígena (foto em destaque).

Segundo a Hutukara Associação Yanomami (HAY), as crianças morreram depois de se perderem durante a fuga do primeiro ataque. As vítimas tinham 1 ano e 5 anos.

No último domingo (16/5), uma nova investida dos garimpeiros ocorreu dessa vez com mais ostensividade. Ao menos 15 barcos se aproximaram da comunidade. Além de tiros, houve o uso de bombas de gás lacrimogêneo.

“Não tem nenhuma força pública de segurança permanente do local, e os garimpeiros continuam diariamente amedrontando a comunidade”, destacou a associação, em nota.

A situação foi relatada em ofício destinado à Frente de Proteção Etnoambiental Yanomami da Fundação Nacional do Índio (Funai), à superintendência da Polícia Federal em Roraima, à 1ª Brigada de Infantaria da Selva do Exército e ao Ministério Público Federal em Roraima.

Cerca de 20 mil garimpeiros atuam ilegalmente na terra Yanomami. Este ano, outro dois conflitos envolvendo garimpeiros deixaram mortos. Um na aldeia Helepi, em fevereiro, e outro na mesma comunidade Palimiu, em abril.

A pedido do Ministério Público Federal (MPF), a Justiça Federal de Roraima determinou o envio de tropas policiais para a terra indígena, em 13 de maio.

Outras decisões da Justiça Federal e do Supremo Tribunal Federal (STF) determinaram a retirada dos invasores e a proteção do território e do povo Yanomami. Até o momento, nenhuma das decisões judiciais foi cumprida pela União, segundo lideranças indígenas.

Últimas notícias