*
 

O Metrópoles venceu a 14ª edição do Prêmio Engenho de Comunicação, nesta quinta-feira (9/11), na categoria Melhor Cobertura de Brasília. A conquista soma-se a outros reconhecimentos que o portal alcançou desde o seu lançamento, em setembro de 2015.

“Nos últimos dois anos, temos feito um trabalho intenso na cobertura do Distrito Federal e ficamos muito honrados com este reconhecimento. Este resultado no Prêmio Engenho reflete o empenho de toda a equipe do Metrópoles em levar aos leitores um leque variado de reportagens sobre todos os assuntos que interessam a comunidade”, comemorou a diretora de Redação, Lilian Tahan.

O tradicional prêmio foi celebrado na Embaixada de Portugal. Os mestres de cerimônia da noite foram os atores e comediantes Adriana Nunes e Adriano Siri, da Cia. de Comédia Melhores do Mundo.

A atriz e cantora Marisa Orth – a personagem Celeste Hermínia, da novela “Tempo de Amar”, da TV Globo – também participou da festa. Muito aplaudida, a artista encenou um talk show sobre ego, vaidade e fama, reforçando, com bom humor, questões como empoderamento feminino. Na sequência, brindou a plateia com canções do seu mais recente disco, “Romance Vol.III”.

Em 2016, o Metrópoles também ganhou o Prêmio Engenho de Comunicação, mas na categoria Melhor Site. Há 14 anos, o Prêmio Engenho de Comunicação reconhece veículos e jornalistas que produzem notícias a partir da capital federal. “Mesmo no momento tão difícil que o nosso país vive, conseguimos congregar parceiros para manter o evento vivo. Isso prova que o Engenho é da cidade, de todos os jornalistas”, disse Kátia Cubel, criadora e presidente do prêmio que nesta edição reuniu em torno de 500 convidados, entre jornalistas, artistas e autoridades.

 

Nesta edição, a repórter Camila Bomfim, da Rede Globo, foi eleita a jornalista do ano. Carlos Monforte também subiu ao palco para ser homenageado. O experiente jornalista reforçou a importância do prêmio e da missão dos jornalistas principalmente na cobertura política. “A nossa profissão é muito interessante, mas também exige dedicação, o que acaba nos privando da convivência com nossa família”, disse. Laerte Rimoli, mais um entre os reverenciados, reconheceu que o prêmio realça a força do jornalismo na cidade e presta a devida homenagem aos profissionais que exercem a carreira a partir da capital federal

Para compor o júri, foram escolhidos reconhecidos representantes da sociedade civil: Torquato Jardim, ministro da Justiça e Segurança Pública; Weder de Oliveira, ministro do Tribunal de Contas da União (TCU); Adelmir Santana, presidente da Fecomércio-DF; Márcio de Freitas, secretário Especial de Comunicação Social da Presidência da República; Eliziane Carvalho, diretora jurídica do CNA/Senar; Bruno Nalon, coordenador do curso de comunicação do UniCeub; e Daniella Goulart, coordenadora do curso de jornalismo do Iesb.

Reconhecimento
Na semana passada, o Metrópoles  também venceu o 24º Prêmio CNT de Jornalismo, na categoria Internet, com a reportagem “Transbrasil – Um embarque para o crime nas rodovias brasileiras”.

Em 2016, o portal havia conquistado a mesma categoria da disputa, com a reportagem Avisa quando chegar – O assédio que paralisa as mulheres. Esse trabalho também ficou em segundo lugar no prêmio ANPTrilhos de Jornalismo, na categoria Mídia Digital.

E levou atestado de excelência, no quesito Projeto, no prêmio da Society for News Design (Sociedade do Design de Notícias, em tradução livre), organização internacional que apoia profissionais da imprensa e premiou o Melhor Design Digital de 2016, considerado o Oscar do jornalismo gráfico.

Além da matéria sobre transporte público, o SDN reconheceu, na categoria Notícias Diárias: Cobertura Programada, a reportagem Um Impeachment em Quadrinhos, sobre a derrocada da presidente Dilma Rousseff (PT).

Em apenas dois anos de existência, o Metrópoles tem se destacado com a conquista de expressivas honrarias nacionais e até internacionais. O portal venceu o Prêmio Longevidade de Jornalismo Bradesco Seguros, na categoria Mídia Digital, com a reportagem Chegamos à quarta idade. E agora, estamos preparados?.

Em 17 de agosto, o especial Ossos do ofício: a rotina cruel dos trabalhadores de frigoríficos foi vencedor do prêmio Ministério Público do Trabalho (MPT) de Jornalismo 2017 nas categorias Webjornalismo Nacional e Regional Centro-Oeste.

Em 2016, o portal faturou o Prêmio Abracopel de Jornalismo com a reportagem Distrito Federal registra alta nos acidentes elétricos em 2016.

Sagrou-se ainda vencedor no concurso da Confederação Nacional da Indústria (CNI) de Jornalismo 2016 na categoria Destaque Regional Centro-Oeste. A reportagem selecionada pelos jurados foi O despertar do Centro-Oeste para a revolução industrial, que debate o desenvolvimento econômico da região. A matéria “Feira dos Importados – A Máfia do Comércio de Rua” foi finalista na mesma categoria.

Em dezembro de 2015, a reportagem especial “Um deserto chamado Distrito Federal” foi escolhida como a melhor cobertura na categoria Utilidade Pública para Internet do 2º Prêmio Corpo de Bombeiros de Comunicação. Foram avaliadas 867 matérias de veículos impressos, internet, rádio e tevê.

O portal ainda é finalista do 23º Concurso Latinoamericano de Fotografia Documental. O trabalho Confronto entre a Polícia Legislativa e Agentes Penitenciários no Congresso Nacional, da repórter fotográfica Rafaela Felicciano, está entre os 13 selecionados na categoria “Conflitos Laborais”.

No ano passado, o Metrópoles foi também finalista no Prêmio Abear de Jornalismo. A reportagem selecionada, “O céu é para todos, faz um diagnóstico dos avanços da aviação civil nos últimos anos e lista os principais desafios do momento atual do setor.

 

 

COMENTE

jornalismoPrêmio Engenho
comunicar erro à redação