Metrópoles tem vagas para programa de estágio em jornalismo. Não perca

Podem participar do Mentor graduandos de jornalismo matriculados em 2022 entre o quinto e o último semestre do curso, em instituições do DF

atualizado 18/01/2022 13:24

Imagem colorida de ilustração de um cérebroArte/Metrópoles

Estudantes de jornalismo devem ficar atentos! O Metrópoles está com inscrições abertas para a segunda turma do seu programa de estágio, o Mentor.

Podem participar os graduandos do curso de jornalismo matriculados em 2022 entre o quinto e o último semestre do curso, em instituições de ensino do Distrito Federal reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC).

O prazo para se inscrever vai até o dia 21 de janeiro de 2022, às 23h59. Os interessados devem enviar currículo para o e-mail [email protected] As aulas serão ministradas presencialmente, no turno vespertino, para que estudantes dos períodos matutino e noturno tenham a oportunidade de participar.

O Mentor visa potencializar a formação dos estudantes de jornalismo, de forma prática, integrando-os ao dia a dia da redação do site. A ideia do programa é complementar os conhecimentos adquiridos no curso acadêmico, priorizando os assuntos relacionados ao jornalismo digital, e contribuir para a formação de novos talentos.

Para a segunda turma do Mentor, serão oferecidas 15 vagas, cinco a mais do que na edição anterior.

“O Mentor é um programa fundamental para o site, uma vez que estamos investindo na formação de novos talentos. A experiência da primeira turma foi muito positiva, e estamos bem empolgados com os resultados. É uma turma jovem, que oxigena a redação, e tem contribuído para a produção de conteúdo com cada vez mais qualidade”, destaca a jornalista Lilian Tahan, diretora-executiva do Metrópoles.

Fique atento aos critérios para se inscrever:

  • Estar cursando jornalismo;
  • Estar matriculado em 2022 entre o quinto e o último semestre do curso;
  • Estar matriculado em uma instituição de ensino superior do Distrito Federal, reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC); e
  • As aulas serão ministradas presencialmente, no turno vespertino.

Veja algumas das palestras durante a imersão da primeira turma do Mentor:

0

Seleção

Durante o processo seletivo, os inscritos serão convocados para entrevista presencial, na qual serão analisadas competências como criatividade, boa comunicação, flexibilidade, capacidade de análise, relacionamento interpessoal, trabalho em equipe, conhecimentos em jornalismo e disposição para aprender.

Ao fim da entrevista, o candidato fará uma redação para que sejam avaliados o conhecimento em língua portuguesa e a criatividade. Os selecionados ganharão contrato de estágio com o Metrópoles, pelo período de até 12 meses, passíveis de renovação. Os estagiários receberão bolsa-auxílio e vale-transporte.

Imersão e rodízio

As aulas da segunda turma do Mentor começam em março. Nos primeiros dois meses do curso, o grupo fará uma imersão para conhecer o funcionamento da redação, aprender os melhores protocolos de Search Engine Optimization (SEO), conversar com jornalistas sobre a experiência de produzir reportagens no hard news e matérias especiais, e receber orientações sobre fotografia e vídeos, Lei de Acesso à Informação (LAI), além de dicas de português e estatística básica, desinformação, jornalismo investigativo, entre outros temas.

Paralelamente, os estagiários participarão de oficinas de texto, com produção de material a ser divulgado no site, sob orientação personalizada de um editor. Após o período de imersão, os estudantes vão passar por um rodízio nas editorias do site e, posteriormente, serão lotados em uma delas.

O Mentor é coordenado pela jornalista Maria Eugênia, que foi editora-chefe do Metrópoles por cinco anos. Ela se formou em jornalismo pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), em 1988. Trabalhou também no Jornal de Brasília, no Correio Braziliense e na Band News FM, e foi coordenadora adjunta de Comunicação para a Copa do Mundo 2014, junto ao Governo do Distrito Federal (GDF).

“Nosso objetivo é ajudar os estudantes a pensarem fora da caixinha. Com tanta desinformação circulando por aí, é fundamental investir em profissionais que produzam conteúdo de qualidade, usando o que há de mais moderno das técnicas de apuração e verificação. Esse é um dos principais objetivos do Mentor”, destaca Maria Eugênia.

Primeira turma

“O Mentor nos deu a oportunidade de ouvir jornalistas mais experientes e depois colocar os aprendizados em prática na redação. É uma experiência completa, que vai além do que vemos na faculdade”, destaca Daniela Santos, 25 anos, que participou da primeira turma do programa. “Além da prática e dos excelentes debates, o programa me mostrou como um jornalista profissional deve se portar atualmente. Isso inclui a preocupação com o público, que sempre deve receber informação de qualidade”, completa Jonatas Martins, 22.

Jaqueline Fernandes, 22, partilha de um sentimento semelhante: “Já passei por alguns estágios desde que iniciei minha jornada acadêmica no jornalismo, e afirmo que nenhum deles me ensinou tanto quanto o Mentor. O curso preparatório que fizemos antes de subir para a redação me deixou pronta para encarar o dia a dia do jornalismo. Hoje me sinto segura, acolhida pela equipe, e cheia de projetos pela frente”.

“Tive todo o incentivo para produzir reportagens e usar a minha criatividade nos textos jornalísticos. Oportunidades como essa são o que os estudantes precisam para ter sucesso na profissão”, celebra Thalita Vasconcelos, 21. “Participar do Mentor foi uma oportunidade única, que me engrandeceu. Trabalhar ao lado de jornalistas experientes é uma chance enriquecedora, algo que poucos têm”, avalia Maria Regina Mouta, 21.

Allan Ricardo de Assis, 30, também celebrou a oportunidade de dar um upgrade na formação: “Passamos por várias editorias, o que ajuda a entender diversos aspectos de uma redação”. “É uma iniciativa inédita em Brasília. Fez muita diferença”, revela Mariah Aquino, 23.

“Participar do Mentor foi uma das melhores coisas de 2021. Além de aprender muito com profissionais excepcionais e evoluir profissionalmente, eu tive a oportunidade de continuar na redação após me formar”, comemora Jéssica Ribeiro, 26. “Toda a primeira parte de imersão foi muito importante, porque, geralmente, já entramos no estágio produzindo, mas sem ter muita noção de como proceder”, conta Luiz Maza, 23.

Conheça a redação do Metrópoles:

0

 

 

Metrópoles, uma história de sucesso

Em apenas seis anos, o Metrópoles conquistou os mais renomados troféus concedidos à imprensa, tanto em disputas nacionais quanto internacionais. Desde a inauguração, em setembro de 2015, o portal venceu 141 troféus e certificados; 29 deles são internacionais.

A equipe já levou 14 medalhas no prêmio The Best of Digital Design, organizado pela Society of News Design, ganhou nove categorias do Prêmio Policiais Federais, e também conquistou seis CNTs e cinco Ñhs.

Em 2020, o Metrópoles se tornou o veículo de comunicação brasileiro mais premiado do ano. No ranking organizado pelo Jornalistas & Cia, o portal com sede em Brasília está na primeira posição, seguido por Rede Globo e Folha de S. Paulo. É a primeira vez que uma publicação fora do eixo Rio-São Paulo lidera a pesquisa.

Em novembro de 2021, o site bateu um recorde mensal, alcançando a marca de 1,131 bilhão de visualizações, resultado de acessos via GoogleFacebookInstagramTikTokKwai e YouTube.

Mais lidas
Últimas notícias