Metrópoles é finalista do Prêmio 99 de Jornalismo

A matéria Invisíveis no Banco da Frente concorre na categoria Profissionais de Jornalismo com trabalhos da Folha de S. Paulo e Zero Hora

atualizado 17/11/2020 9:21

Pandemia expõe ao perigo trabalhadores do transporte públicoIgo Estrela/Metrópoles

O Metrópoles é finalista do Prêmio 99 de Jornalismo. A matéria Invisíveis no Banco da Frente concorre na categoria Profissionais de Jornalismo com trabalhos da Folha de S. Paulo e Zero Hora. Os vencedores serão revelados em cerimônia de premiação marcada para dezembro.

Escrita por Manoela Alcântara e fotografada por Rafaela Felicciano e Igo Estrela, a matéria Invisíveis no Banco da Frente conta a história dos motoristas e cobradores de ônibus urbanos que enfrentaram condições precárias para não deixar o Brasil parar durante o isolamento social imposto no início da pandemia do novo coronavírus.

0

A categoria foi a segunda mais afetada pela Covid-19 no Brasil: só São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal enterraram mais de 94 motoristas e cobradores. Na reportagem, o Metrópoles contou o drama das famílias que perderam entes queridos após eles terem sido contaminados enquanto trabalhavam.

A rotina de quem ainda está na linha de frente foi registrada pela equipe do portal. O videomaker Gabriel Foster acompanhou Taciara da Silva Rodrigues, a primeira cobradora infectada no Distrito Federal pela Covid-19. O documentário mostrou a rotina matinal, os cuidados de proteção e a solidão da profissional antes de começar o expediente.

A equipe de arte, composta por Gui Prímola e Moisés Amaral, desenvolveu infografias interativas para mostrar os números antes e durante a pandemia. Em uma delas, por exemplo, a dupla animou um gráfico com a evolução do fluxo de ônibus no DF de acordo com os decretos do governo para conter o avanço da Covid-19. Allan Rabelo, Saulo Marques e André Marques desenvolveram os códigos para colocar o material no ar.

Lilian Tahan, Priscilla Borges, Otto Valle, Olívia Meireles, Daniel Ferreira, Michael Melo editaram o trabalho que chegou na redação. Por fim, Viviane Novais revisou os textos para deixar tudo redondo. A reportagem também é finalista do 27º Prêmio CNT de Jornalismo e do Prêmio CICV de Cobertura Humanitária, iniciativa do Comitê Internacional da Cruz Vermelha.

Sobre o prêmio

O Prêmio 99 de Jornalismo é focado na cobertura de mobilidade urbana. O tema central desta edição foi os desafios das cidades em meio à pandemia que assolou o mundo em 2020. Se antes da Covid-19, o grande desafio era criar uma rede de transporte eficaz, capaz de operar em situações adversas cada vez mais frequentes, como alagamentos e enchentes, agora trata-se de conceber um sistema que se mostre seguro o bastante para garantir a saúde dos seus usuários, que inclua aplicativos, ônibus, metrô e toda uma rede de modos de deslocamento democrática e inclusiva.

O júri foi formado por profissionais independentes de jornalismo e urbanismo de comprovada experiência e renome em suas atividades. A coordenação e validação dos resultados será garantida pelo jornal Folha de S.Paulo, que apoia a realização do prêmio.

Últimas notícias